Siga-nos no Whatsapp

Temido candidata a Lisboa? "Quer ver se tem máquina e depois logo se vê"

03 mar, 2023 - 21:02 • Susana Madureira Martins

O "pode acontecer" dito esta quinta-feira pela ex-ministra numa entrevista à SIC sobre a possibilidade de vir a ser candidata às autárquicas de Lisboa em 2025 mexeu com o PS local, que não afasta a possibilidade, mas os socialistas, dos mais aos menos graduados, consideram que é "cedo" para lançar um nome, qualquer que ele seja. Para já, Marta Temido está em teste na presidência da concelhia para a qual mantém intenção de sujeitar-se a eleições.

A+ / A-

"Pode acontecer". Com estas duas palavras, Marta Temido abriu todo um mundo de possibilidades em torno do seu nome para uma candidatura à Câmara de Lisboa pelo PS. Dirigentes socialistas locais reconhecem que a ex-ministra da Saúde na entrevista à SIC se colocou na "rampa de lançamento", mas o problema é que faltam dois anos.

À Renascença, um dirigente do PS de Lisboa reconhece que Temido "é um excelente nome, é um nome forte", mas coloca um travão ao referir que "nesta fase não faz sentido falar em nomes", sendo "muito prematuro".

Marta Temido ascendeu a presidente da concelhia do PS de Lisboa após a demissão de Davide Amado acusado pelo Ministério Público de participação económica em negócio e abuso de poder. É nesse novo cargo que toda a gente quer ver como se sai a ex-ministra da Saúde.

"É presidente da concelhia de Lisboa e vai querer estar concentrada em fazer uma boa oposição e em construir uma alternativa ao Moedas". É o que diz o mesmo dirigente do PS de Lisboa à Renascença, que salienta ainda que isto "não é diferente do que fazem os outros presidentes de Concelhia".

É preciso dar tempo e "quando chegar o momento ela terá de avaliar quem está em melhor posição". Ora, e pode chegar à conclusão que é ela? O mesmo dirigente do PS responde "claro", mas ressalva que "geralmente, a escolha da(o) candidata(o) à Câmara de Lisboa é uma escolha nacional, por isso vai ser um processo partilhado. Sempre foi".

Faltam dois anos para as autárquicas de 2025 e é considerado "normal" por este socialista que "se espere até perto de faltar um ano para as eleições para se perceber quem poderá ser o melhor nome". Ou seja, em 2024 é natural que o tema da candidatura volte em força, sendo essa uma das preocupações de Temido.

Temido é nome forte, mas socialistas aconselham ex-ministra a ter cautelas com a máquina

Dirigentes locais da concelhia de Lisboa que têm lidado com a ex-ministra da Saúde têm assistido a uma Temido frenética. "Quer ir às secções conhecer as pessoas, marca reuniões a torto e a direito, quer assistir às reuniões da bancada municipal", diz um deles à Renascença.

Um mês depois de ter tomado o lugar de Davide Amado, a nova presidente da concelhia de Lisboa "provou, gostou e está a gostar daquilo", diz o mesmo dirigente do PS local. Empática, Temido entrou "de mansinho" pela máquina socialista adentro, mas apontam-lhe que ainda "está crua".

Mesmo sendo já presidente da concelhia, a Renascença sabe que Temido mantém a intenção de se sujeitar a votos para o cargo. Ainda não há data pata a eleição, mas aí pode logo confrontar-se com o funcionamento do PS profundo. O mesmo dirigente local diz que o "problema" é que Temido "não conhece as pessoas e para formar a lista vai ver como é".

O mesmo dirigente do PS de Lisboa explica que Temido "não pode mexer muito na lista do Amado" quando escolher os nomes para a concelhia. "Se se começar a meter com algumas pessoas, a malta fica calada, mas ela fica debaixo de olho". Isso quer dizer o quê? "Se pede 100 pessoas nos eventos, tem 50". Conclusão: Temido "ainda não percebeu como é a máquina" socialista.

O facto de Marta Temido só ter cartão de militante há dois anos pode fazer levantar o sobrolho a alguns elementos da concelhia. É apontado "o facto de não ter crescido ali" e isso "complica um bocado a posição dela" e que "basta fazer escolhas que caiam mal" para fazer gelar o ambiente. "Mas espera-se que faça um bom trabalho na concelhia", aponta um membro do PS local.

Outro dirigente socialista de Lisboa responde direto quando questionado pela Renascença se Marta Temido pode ter anticorpos no partido: "Isto é o PS. Há um ano isto era impossível. O David Amado construiu este projeto". Neste momento, os socialistas estão na expectativa e é dado como certo que "é com ela" que na concelhia se vão "preparar as autárquicas".

E Duarte Cordeiro?

O nome de Duarte Cordeiro, ministro do Ambiente, antigo vice-presidente da câmara e líder da influente Federação da Área Urbana de Lisboa do PS (FAUL ) surge sempre como um nome forte para lançar numa candidatura à autarquia da capital.

À Renascença, um dirigente do PS de Lisboa não coloca de parte que Duarte Cordeiro "quer a câmara", mas com Temido a atravessar-se no caminho deixando cair que "pode acontecer" uma eventual candidatura a Lisboa, aí o ministro "ou se chega à frente" ou o problema fica criado.

"Internamente, entre os dois, ganha o Duarte", garante a mesma fonte socialista. Resta saber como funciona a máquina socialista e "como Costa se vai mexer". É, entretanto, garantido à Renascença por um elemento próximo do líder da FAUL que Duarte Cordeiro ficará "sempre bem se a escolha for a Marta".

Há, entretanto, dirigentes do PS de Lisboa que não colocam de parte outra hipótese: candidatar Duarte Cordeiro à presidência da câmara e Marta Temido à Assembleia Municipal. "Até pode ser", admite um membro da concelhia.

Tudo isto é envolto em muitos 'ses'. A mesma fonte levanta a questão se o ministro do Ambiente "quer sair do Governo antes do fim da legislatura? É interessante?". E mais uma vez surge a tese de que "é muito cedo para lançar candidatos e é pôr candidatos em lume brando durante muito tempo". Mas admite-se que "pode ser uma boa opção".

"Já temos uma pessoa para ir para o terreno"

O trabalho da concelhia é agora preparar o PS de Lisboa para as autárquicas. Esse é o objetivo número um. E fazer de Temido a sombra de Carlos Moedas. À Renascença é dito por um membro do PS na autarquia de Lisboa que é preciso fazer uma "oposição construtiva" ao presidente da câmara e o partido encontrou quem o faça.

"Já temos uma pessoa para ir para o terreno", desabafa o mesmo socialista, que aponta a Temido uma "visão muito positiva da política" e "está com o espírito certo".

Na sessão de esclarecimento desta quinta-feira à noite no Altis em que se discutiu o programa "Mais Habitação", Marta Temido já definiu esta como uma das suas áreas prioritárias e lançou mesmo recados ao PS para que não se "deixe entrincheirar" na discussão deste tema.

Há outras áreas que Temido quer discutir em Lisboa. As migrações e a melhor integração de imigrantes na cidade, melhorar as condições de habitação de quem chega do estrangeiro, por exemplo. A mesma fonte socialista fala mesmo em "novos tempos na oposição, mas sempre construtiva", aproveitando o 'slogan' com que Moedas conquistou a câmara em 2021.

Para já, os socialistas vêem Temido "muito cautelosa" a "querer perceber como é ser presidente da concelhia, quer fazer um projeto sólido, mas não quer saltar etapas, quer ver se tem máquina e depois logo se vê", resume um dirigente do PS de Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+