Tempo
|

SNS. Cada médico recebeu em média 6.500 euros em horas extraordinárias até agosto

06 out, 2023 - 07:00 • Diogo Camilo

Números provisórios da ACSS indicam que o Serviço Nacional de Saúde teve uma despesa com horas extra de médicos superior a 200 milhões de euros nos primeiros oito meses do ano. Em média, cada médico já realizou 137 horas suplementares em 2023.

A+ / A-

Nos primeiros oito meses do ano, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) teve uma despesa superior a 200 milhões de euros com horas extraordinárias de médicos. Cada médico fez, em média, mais de 135 horas suplementares - mais do dobro de um enfermeiro - e recebeu por isso quase 6.500 euros.

Segundo dados provisórios da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) à Renascença, o valor pago a profissionais de saúde por horas extra até agosto foi de 302 milhões de euros. Deste valor, mais de dois terços (205 milhões de euros) foram recebidos por médicos.

A despesa em horas extraordinárias de médicos neste ano aproxima-se à dos anos inteiros de 2020 a 2022 e já ultrapassa o valor recebido por médicos pelas horas extraordinárias em 2019.

Em média, segundo os números disponíveis de profissionais no Portal da Transparência do SNS, cada médico já recebeu quase 6.500 euros em horas extraordinárias até agosto de 2023. Este valor é mais de seis vezes superior ao recebido por cada enfermeiro (1.130 € em média).

No total, o SNS teve uma despesa de 57 milhões de euros com enfermeiros e de cerca de 40 milhões de euros com outros profissionais de saúde.

Em esclarecimento, a Administração Central do Sistema de Saúde refere que, “em situações de necessidade, as entidades recorrem a trabalho suplementar, com o objetivo de assegurar o regular funcionamento dos serviços de urgência”.

Médicos fizeram o dobro das horas extraordinárias de enfermeiros

Os números provisórios da ACSS indicam ainda que profissionais de saúde realizaram mais de 11 milhões de horas extraordinárias até agosto, números que ficam abaixo dos anos de pandemia e se aproximam do último ano pré-pandemia, de 2019.

Nesse ano, o total de horas extras superaram os 13 milhões, com médicos a fazerem mais de 5,6 milhões de horas suplementares. Até agosto deste ano, médicos tinham realizado mais de 4,3 milhões de horas extra, enquanto enfermeiros fizeram cerca de 3,2 milhões de horas extra.

Em média, segundo os números disponíveis de profissionais no Portal da Transparência do SNS, cada médico fez 137 horas extra - mais do dobro das horas extraordinárias de enfermeiros e próximo das 150 horas de limite estabelecido pela lei.

Esta quarta-feira, o bastonário da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, esteve reunido com o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, onde discutiu medidas que irão a debate em Fórum Médico, a realizar-se na próxima quinta-feira, em Coimbra.

Entre as medidas em discussão está a abertura de processo para uma nova carreira médica e a opção de redução do horário base de 40 para 35 horas, além de um plano de captação e manutenção de médicos no SNS e a melhoria do pacote formativo de médicos.

A Renascença fez o levantamento dos dados disponíveis no Portal da Transparência do SNS, que davam conta de que já tinham sido acumuladas mais de 12 milhões de horas extraordinárias este ano, tornando-se no terceiro maior número desde que há registo para este período do ano.

Este número é o dobro das horas suplementares registadas há 10 anos, no mesmo período, e superiores ao total dos anos de 2014 a 2018.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+