Tempo
|

Entrevista Renascença

​Embaixador ucraniano na ONU espera que Putin, "o louco", ouça Erdogan

04 set, 2023 - 08:00 • Sandra Afonso

Sergiy Kyslytsya não poupa críticas ao regime de Putin. Numa altura em que o mundo está de olhos postos no encontro desta segunda-feira entre o líder russo e Erdogan, que poderá recuperar a exportação de cereais pelo Mar Negro, o diplomata não deposita muitas esperanças num desfecho positivo.

A+ / A-

O embaixador ucraniano na ONU, Sergiy Kyslytsya, espera que o Presidente russo, Vladimir Putin, ouça o seu homólogo turco, Tayyip Erdogan, no encontro desta segunda-feira para reativar o acordo de cereais.

Em entrevista à Renascença à margem das Conferências do Estoril, na Nova SBE, em Carcavelos, Sergiy Kyslytsya não poupa críticas à ditadura de Putin. Numa altura em que o mundo está de olhos postos no encontro desta segunda-feira entre o líder russo e Erdogan, que poderá recuperar a exportação de cereais pelo Mar Negro, o diplomata não deposita muitas esperanças num desfecho positivo.

O representante permanente da Ucrânia nas Nações Unidas lembra que existiam dois acordos para a exportação de cereais, nenhum deles subscrito pela Ucrânia. Moscovo assinou os dois e rompeu com todos, afirma.

“A Rússia foi contra as Nações Unidas e a Turquia, além de ir contra os interesses de todos os países que tanto dependem da segurança alimentar e da estabilidade da cadeia de abastecimento.”

“Putin estava tão louco que, quando os líderes africanos vieram para a cimeira, em São Petersburgo, ele nem sequer entendeu como estava a humilhar o líderes africanos quando lhes ofereceu algumas dezenas de toneladas, milhares de toneladas de cereais, como se com isso pudessem eliminar a ameaça iminente de fome em muitos países”, afirma.

"Sistema que Putin tem construído está a desintegrar-se"

O diplomata defende que Putin está cada vez mais isolado. A esperança agora é que oiça o presidente Turco, Recep Tayyip Erdogan, no encontro desta segunda-feira.

“Vemos como o sistema que Putin tem construído tão meticulosamente durante décadas está a desintegrar-se e como ele está a perder o controlo de muitos setores da vida pública. O caso de Prigozhin também mostra que o regime russo perdeu o monopólio da violência. Acho que todos devemos esperar que aquele louco possa tentar ouvir o que Erdogan tem para lhe dizer”.

Questionado se será necessária uma nova solução para restaurar a exportação de cereais, o embaixador da Ucrânia na ONU confia que Erdogan tem um plano para apresentar a Putin e este só teria a ganhar em ouvir o homólogo turco.

“Erdogan é um político muito experiente e um político muito forte. Putin não é ninguém comparado com Erdogan. Acredito que Erdogan tem muitas coisas para dizer a Putin e muitas formas de explicar a Putin que deveria tentar pelo menos fingir que ainda controla a situação, porque a Rússia é cada vez mais um Estado fracassado”, defende Sergiy Kyslytsya.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+