Tempo
|

​Guerra na Ucrânia

Mais de 20 mortos e 43 desaparecidos em Dnipro. Putin fala em "dinâmica positiva" na guerra

15 jan, 2023 - 14:53 • Ricardo Vieira, com agências

As operações de resgate prosseguem na cidade de Dnipro, onde um míssil russo arrasou um bloco de apartamentos.

A+ / A-
Guerra na Ucrânia. Ataque russo causa pelo menos 25 mortos num bloco de apartamentos
Guerra na Ucrânia. Ataque russo causa pelo menos 25 mortos num bloco de apartamentos

Pelo menos 25 mortos, 73 feridos e 43 desaparecidos é o mais recente balanço do ataque russo contra uma zona residencial da cidade de Dnipro, no sudeste da Ucrânia. Os números foram avançados este domingo pelo Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Um míssil russo atingiu, no sábado, um bloco de apartamentos no sábado, na sequência de uma nova vaga de bombardeamentos contra alvos na Ucrânia.

As operações de resgate prosseguem e já foram retiradas dos escombros 39 pessoas com vida, indica o Presidente ucraniano.

Entre 100 a 200 pessoas ficaram sem casa, em resultado do ataque em Dnipro.

Este foi o maior ataque desde a trégua de Natal decretada pelo Presidente russo.

Vladimir Putin disse à televisão estatal russa que o que ele chama de “operação militar especial” na Ucrânia ganhou um impulso positivo, avançou este domingo a agência Reuters.

O presidente russo disse à estação Rossiya 1 que esperava que os soldados entregassem mais vitórias depois de a Rússia reivindicar a conquista da cidade ucraniana de Soledar. A Ucrânia ainda não deu a cidade por perdida.

“A dinâmica é positiva”, disse Putin à televisão estatal quando questionado sobre a tomada de Soledar. “Tudo se está a desenvolver no âmbito do plano do Ministério da Defesa e do Estado-Maior”, declarou.

“E espero que nossos combatentes nos satisfaçam ainda mais com os resultados de seu combate”, disse Putin.

A Rússia admitiu, entretanto, que atingiu no sábado o sistema de comando e controlo militar e instalações energéticas da Ucrânia, sem mencionar o míssil que atingiu um prédio em Dnipro e que matou pelo menos 21 civis.

"Em 14 de janeiro, um ataque com mísseis foi realizado contra o sistema de comando e controlo militar da Ucrânia e instalações de energia. Todos os objetos designados foram atingidos. O alvo foi atingido", disse o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov, no relatório diário de guerra.

[notícia atualizada às 15h49 - número de mortes aumento para 25 e m Dnipro]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+