A+ / A-

João Félix

"Não é por Ronaldo estar, ou não estar, que jogamos pior ou melhor"

09 dez, 2022 - 11:40 • Redação

João Félix esclarece que não sente qualquer "obrigação" de passar a bola a Ronaldo, quando o capitão está em campo pela seleção nacional. Portugal defronta Marrocos, este sábado, às 15h00, para os quartos de final do Mundial 2022.

A+ / A-

João Félix põe gelo no momento inflamado que Cristiano Ronaldo está a viver na seleção nacional e valoriza a influência de CR7 na mesma medida que valoriza o contributo de todos os outros jogadores que Fernando Santos escolhe para jogar.

"Se calhar jogamos de uma forma quando ele está, porque ele nos dá coisas diferentes, e de outra forma quando ele não está. Não é por ele estar, ou não estar, que vamos jogar melhor ou pior (...) Ele tem características que outros não têm e outros têm características que ele não tem. A tática é a mesma, estando ele ou não estando", comenta o avançado, de 23 anos, que tem sido opção como titular no Mundial do Qatar.

José Fonte, campeão da Europa em 2016, 50 vezes internacional por Portugal, disse à BBC que quando Ronaldo não joga o futebol da seleção é mais fluído. O central do Lille acrescentou que os restantes jogadores, quando Cristiano está em campo, sente como que uma obrigação de passar a bola ao capitão.

Félix respeita a opinião de José Fonte, mas discorda: "Não sinto obrigação de passar a bola ao Cristiano. Procuramos sempre a melhor solução. Cada um interpreta o jogo à sua maneira. Ele terá as suas razões para dizer o que disse".

O avançado não quis alongar-se em mais comentários sobre Ronaldo e sobre a forma como ele viveu o momento em que soube que não iria ser titular com a Suíça. A concentração de Félix está em "dar alegrias aos portugueses".

"Estou completamente focado na seleção", sublinha, rejeitando entrar por outro desvio: o Atlético de Madrid. O diretor executivo do clube espanhol anunciou que João Félix quer deixar o clube, mas o jogador reforça que o tema Atlético "é só para quando acabar o Mundial".

E Portugal tem jogo para os quartos de final, já este sábado, frente a Marrocos. Isto depois de uma goleada à Suíça (6-1), numa exibição de nível alto. A ideia passa por repetir a dose, mas para isso é preciso "estar com os pés bem assentes na terra".

"Vai ser jogo muito complicado, mas já estivemos a ver e já sabemos o que temos de fazer para evitar o que eles têm de bom", refere João Félix, que pela frente terá um duelo com o lateral direito Hakimi, grande figura da seleção marroquino.

"Hakimi é um dos melhores laterais do mundo. Vai ser um duelo interessante, que espero ganhar", afirma o jogador que, não esconde, está a "viver um sonho". "É o meu primeiro Mundial, uma competição que todos sonham jogar. Sinto alegria a jogar, porque é um sonho estar aqui", remata.

João Félix foi titular em três jogos no Qatar e foi poupado na partida com a Coreia do Sul, que Portugal jogou já com a garantir de que estaria nos oitavos de final. O avançado do Atlético tem um golo e duas assistências e continuará no 11 frente a Marrocos.

O jogo é este sábado, às 15h00, no Al Thumama Stadium, em Doha. Partida com acompanhamento total na Renascença, numa emissão especial que arranca às 14h00. Tudo para seguir, ao minuto, em rr.sapo.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+