Tempo
|
A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Judo cancela provas na Rússia, mas não exclui atletas russos

03 mar, 2022 - 13:35 • Lusa

Inicialmente, face à guerra na Ucrânia, a Federação Internacional de Judo tinha cancelado apenas o Grand Slam de Kazan, que deveria disputar-se entre 20 e 22 de maio.

A+ / A-

A Federação Internacional de Judo (IJF) cancelou todas as provas previstas para a Rússia.

No entanto, recusou suspender os atletas russos, que poderão continuar a competir, sob bandeira e hino do organismo regulador da modalidade.

“A Federação Internacional de Judo vem agora cancelar todas as competições no território da Federação Russa”, anunciou a IJF na quarta-feira, em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Inicialmente, a IJF tinha cancelado apenas o Grand Slam de Kazan, que deveria disputar-se entre 20 e 22 de maio.

A IJF rejeitou a “decisão radical de impedir a participação” de judocas russos, argumentando que “os atletas não podem ser condenados pelo que está a acontecer” na Ucrânia. Isso contribuiria para “criar um sentimento de injustiça”.

“Tal como a IJF fez no passado, no decurso de outros conflitos entre países, vamos proporcionar aos atletas russos a oportunidade de participarem nas provas da IJF, mas apenas sob bandeira, logo e hino da IJF”, sustentou o organismo, em comunicado.

Para a IJF, “os eventos desportivos promovem a paz e solidariedade no mundo”, pelo que “uma decisão de suspender totalmente os atletas russos, independentemente das diferentes opiniões que têm sido manifestadas, não é justificada”.

O judo tomou uma posição idêntica à que foi assumida por outros desportos, como ténis, natação e esgrima, que autorizaram os atletas a competir sob bandeira neutra.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+