Tempo
|
A+ / A-

Ténis

Austrália abre exceção e Djokovic vai poder disputar primeiro Major do ano

04 jan, 2022 - 16:45 • Lusa

Foi concedida uma "isenção médica" para que o número um do ténis mundial possa disputar o Open da Austrália.

A+ / A-

A Federação Australiana de Ténis (TA), promotora do Open da Austrália, confirmou, esta terça-feira, ter concedido uma "isenção médica" a Novak Djokovic, para que o sérvio possa jogar o primeiro Major do ano, entre 17 e 30 de janeiro.

"Djokovic solicitou uma isenção médica, que lhe foi concedida, após um exame rigoroso envolvendo dois grupos independentes de especialistas", refere a TA em comunicado, divulgado após o número um do mundo ter confirmado a presença na Austrália.

O comunicado refere que Novak Djokovic "vai participar no Open da Austrália e está a caminho" e omite, escondendo-se atrás do sigilo médico, os motivos da concessão desta isenção ao tenista sérvio.

"Protocolos justos e independentes foram colocados em prática para avaliar os pedidos de isenções médicas para garantir um Open da Austrália de 2022 seguro e agradável para todos", afirma o presidente da TA, Craig Tiley, no comunicado.

Novak Djokovic nunca esclareceu se foi ou não vacinado contra o novo coronavírus e, em abril de 2020, falou contra a vacinação obrigatória, então planeada para permitir a retomada dos torneios de ténis, apesar da pandemia de covid-19.

"Passei uns dias muito felizes com aqueles que amo durante as férias e hoje parto graças a uma autorização especial. Avante 2022", publicou numa rede social Novak Djokovic, de 34 anos, nove vezes campeão do torneio da Oceânia, incluindo as três últimas edições.

O número um do mundo procura bater o recorde de conquistas de torneios do Grand Slam (20), que partilha atualmente com o suíço Roger Federer e o espanhol Rafael Nadal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+