Tempo
|
A+ / A-

Parlamento unânime no pesar pela morte de Alfredo Quintana

11 mar, 2021 - 23:06 • Lusa

O guarda-redes da seleção nacional de andebol e do FC Porto morreu no dia 26 de fevereiro, aos 32 anos.

A+ / A-

O parlamento aprovou, esta quinta-feira, por unanimidade, um voto de pesar pela morte do guarda-redes internacional português Alfredo Quintana, com as “mais sentidas condolências” a família, amigos, FC Porto e Federação de Andebol de Portugal.

O guarda-redes de andebol, 32 anos, foi vítima de uma paragem cardiorrespiratória no dia 22 de fevereiro, ao começar um treino da equipa do FC Porto. Morreu quatro dias depois no Hospital de São João, no Porto.

Quintana nasceu em Havana, em 1988, mas radicou-se em Portugal a partir de 2010. Começou a representar a seleção nacional em 2014, já depois de se ter naturalizado e de ter constituído família com Raquel Ferreira.

O “bom gigante” (2,01 metros de altura), como era carinhosamente tratado, contribuiu para as melhores classificações de sempre de Portugal: sexto lugar no Euro 2020 e 10.º no Mundial 2021. Ao serviço do FC Porto, venceu seis campeonatos, uma Taça de Portugal e três Supertaças.

Nas galerias da Assembleia da República, destinadas aos cidadãos, estiveram presentes familiares e representantes federativos e do FC Porto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+