Tempo
|
A+ / A-

Pedro Pinho condenado a dois anos de prisão após agressão a repórter de imagem

08 nov, 2022 - 16:13 • Redação

Caso remonta a abril de 2021, quando o agente agrediu um operador de câmara que captava a saída de Pinto da Costa do estádio do Moreirense.

A+ / A-

O empresário Pedro Pinho foi condenado a dois anos de prisão com pena suspensa, segundo a CNN Portugal.

O caso remonta a 26 de abril de 2021 e ocorreu nas imediações do Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, após o Moreirense-FC Porto da 29.ª jornada do campeonato da época 2020/21.

Depois do apito final do jogo, o agente agrediu o repórter de imagem que captava a saída de Pinto da Costa do estádio.

Na altura, o Ministério Público acusou Pedro Pinho de crime de ofensa à integridade física qualificada, de atentado à liberdade de informação e de dano com violência.

O referia que Pedro Pinho, "com o intuito de que parasse de filmar, lhe desferiu um pontapé no abdómen e, simultaneamente, no material de imagem com que filmava".

"O arguido desferiu um segundo pontapé na vítima e no referido material, encostou-o a um gradeamento e segurou-o pelo pescoço tentando retirar-lhe a câmara; e que como não conseguisse fazê-lo, arrancou-lhe o cabo, fazendo com que se perdesse o sinal em directo e a transmissão em tempo real dasimagens", lê-se, ainda, no despacho.

Na altura, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol suspendeu o empresário por quatro meses, uma decisão mais tarde anulada pelo Tribunal Arbitral do Desporto, uma vez que Pedro Pinho não estava registado como agente desportivo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+