Tempo
|
A+ / A-

Governo e Liga de clubes repudiam incidente com adeptos no Estoril-FC Porto

18 set, 2022 - 13:50 • Lusa

Um vídeo dkvulgado nas redes sociais mostra um homem, com uma criança pequena ao colo, ambos com camisolas do FC Porto vestidas, a serem insultados e, alegadamente, cuspidos por adeptos do Estoril, situação que obrigou o referido adepto portista a afastar-se do lugar em que se encontrava sentado na bancada.

A+ / A-

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto e o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional repudiaram, este domingo, o incidente ocorrido com dois adeptos durante o jogo Estoril Praia-FC Porto (1-1), da I Liga, no sábado.

“Esta criança e o pai foram vítimas de intolerância inaceitável por parte de um grupo de adeptos da equipa adversária. Este tipo de incidentes não pode ter lugar nos nossos estádios. Como também não podemos aceitar as tentativas de normalização da intolerância no desporto”, reagiu João Paulo Correia, através da rede social Twitter.

De resto, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto assegurou medidas contra os infratores: “A Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto agirá contra o comportamento dos adeptos em causa. Continuaremos a lutar implacavelmente”.

No sábado, foi divulgado um vídeo nas redes sociais e em vários meios de comunicação social no qual se vê um homem, com uma criança pequena ao colo, ambos com camisolas do FC Porto vestidas, a serem insultados e, alegadamente, cuspidos por adeptos do Estoril, situação que obrigou o referido adepto portista a afastar-se do lugar em que se encontrava sentado na bancada.

Face a esta situação, também o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, pediu uma “reflexão conjunta”, frisando que “ninguém” pode ficar ausente desta discussão.

“O choro de uma criança, apavorada, agarrada aos braços do seu pai, num estádio de futebol, deveria ser suficiente para nos fazer… PARAR!!!”, escreveu Pedro Proença, na rede social Facebook.

O líder da LPFP fez questão de “repudiar, de forma firme e convicta, todos os atos que configurem atentados a todos quantos constroem o espetáculo que deve ser o futebol”, num “momento de retoma” da competições e em que se pretende “fazer regressar as famílias aos palcos desportivos”.

“Teremos de ser intransigentes na defesa destes valores, certos, contudo, de que a mudança começa em cada um de nós, na reflexão sobre o que é o desporto e a cidadania. Essa reflexão constituirá uma parte substancial deste caminho. Não desistiremos de defender o que está certo e de reclamar meios e condições para o efetivar”, salientou Proença.

Esta é a segunda vez no espaço de uma semana que tanto o secretário de Estado da Juventude e do Desporto como o presidente da LPFP lamentam incidentes ocorridos com adeptos em estádios da I Liga.

Há precisamente uma semana, uma criança foi obrigada a despir uma camisola do Benfica no estádio do Famalicão, por se encontrar, juntamente com o pai, numa bancada com maioria de adeptos locais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ângela Cristina Silv
    19 set, 2022 tondela 08:52
    Tem que se repensar seriamente no futebol. Ou os adeptos se sabem portar, ou então estão sempre a acontecer situações semelhantes .É urgente a intervenção do Governo para que se tomem medidas drásticas .

Destaques V+