Tempo
|
A+ / A-

II Liga

Tondela "não se conforma" com castigo da FIFA

02 jun, 2022 - 16:18 • Redação

Clube está impedido de inscrever jogadores nas próximas duas janelas de mercado. Tondela garante que já tinha chegado a acordo com antigo clube de Khacef e vai "continuar a trabalhar para defender a sua posição".

A+ / A-

O Tondela garante que "não se conforma" com o castigo da FIFA, que proíbe o clube de contratar jogadores durante duas janelas de transferências, e promete "continuar a trabalhar para defender a sua posição".

O castigo remonta ao verão de 2021, quando a FIFA castigou o Tondela pela contratação de Naoufel Khacef, que, no entendimento do organismo, não tinha motivo para a rescisão unilateral com o seu antigo clube, o Na Hussein-Dey.

Depois de um recurso, o Tribunal Arbitral do Desporto deu razão ao Na Hussein-Dey, mantendo o castigo.

Em resposta, o Tondela garante que, na altura do castigo, no último verão, "acordou com o NA Hussein-Dey, com a mediação da FIFA, o pagamento de uma indemnização que resolveria qualquer reclamação que pudesse surgir".

O emblema que desceu à II Liga "não se conforma com a sentença do CAS e reforça que vai continuar a trabalhar para defender a sua posição, uma vez que ficou provado que o problema em questão se coloca entre o Naoufel Khacef e o NA Hussein-Dey, tendo o jogador já cumprido a sanção que lhe foi aplicada de quatro meses de suspensão".

O Tondela, este ano despromovido à II Liga de futebol, e finalista vencido da Taça de Portugal, em que perdeu por 3-1 com o FC Porto, vai defrontar os "dragões" em Aveiro, em 31 de julho, para a Supertaça Cândido de Oliveira.

A SAD tem 17 jogadores com contrato válido, mas está impedida pela FIFA de reforçar o plantel para a temporada 2022/23.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+