A+ / A-

Brasileirão

Presidente do Botafogo discute com Abel e pede demissão do presidente da CBF por "corrupção"

02 nov, 2023 - 09:19 • Redação

John Textor critica cartão vermelho que mudou o rumo do encontro. "O presidente tem de se demitir amanhã de manhã", afirma.

A+ / A-

John Textor, dono do Botafogo, acusa a Federação Brasileira de corrupção e pede a demissão do seu presidente após a derrota com o Palmeiras que reabre a luta pelo título de campeão brasileiro.

O empresário norte-americano contesta o cartão vermelho direto mostrado a Adryelson. O Botafogo vencia por 3-1 nessa fase da partida.

"O mundo todo viu. Nem sei se foi falta, chegou primeiro à bola. Não era vermelho. Isto é corrupção, é roubo. Multa-me, Ednaldo [presidente da CBF], mas vai ter de se demitir amanhã de manhã. Este campeonato tornou-se uma piada, nem os jogadores do Palmeiras querem ganhar assim", disse, junto ao relvado.

De acordo com a imprensa brasileira, Textor discutiu com o treinador português Abel Ferreira no final da partida. Joaquín Piquerez, jogador do Palmeiras, também provocou o presidente do Botafogo: "Ele disse que nos ia ganhar, não foi?".

Em conferência de imprensa, Abel Ferreira garante que a situação com Textor ficou "completamente resolvida".

"São momentos muito duros. Para mim, ele é dos melhores presidentes do Brasil. O futebol tem muitas emoções e só sente quem está lá dentro. O futebol brasileiro precisa de pessoas como o Textor. O que ele diz em relação a todo o resto eu não vou comentar. Tenho minha opinião, é melhor eu não dizer porque não é minha função", disse.

John Textor também confrontou a equipa de arbitragem e fez sinal de dinheiro em direção ao árbitro.

O Palmeiras venceu em casa do Botafogo, por 4-3, depois de ter estado a perder por 3-0 ao intervalo. A equipa do Rio de Janeiro segue líder, com 59 pontos, mas agora apenas mais três do que o Palmeiras e seis do que o Grémio.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+