Tempo
|
A+ / A-

Federação Espanhola pede desculpa "ao futebol mundial pelo comportamente inaceitável de Rubiales"

05 set, 2023 - 14:03 • Redação

Pedro Rocha, presidente interino da RFEF, garante que "os atos de Rubiales não representam os valores da RFEF e devem ser imputados exclusivamente a ele".

A+ / A-

A Federação Espanhola de Futebol (RFEF) pediu as "mais sinceras desculpas" pelo comportamento que considera "totalmente inaceitável" de Luis Rubiales durante a final do Mundial de futebol feminino e nos dias seguintes.

Num comunicado assinado por Pedro Rocha, presidente interino da RFEF após a suspensão de Ruiales, o organismo garante que a atitude "não correspondem aos valores da sociedade espanhola, desta instituição, dos atletas e dos dirigentes do futebol espanhol".

"O dano causado ao futebol espanhol e à nossa sociedade foi enorme. Sentimo-nos profundamento responsáveis pelo dano pro ele causado e devemos pedir as mais sinceras desculpas e deixar um compromisso absoluto que atos semelhantes não voltarão a acontecer nunca mais", diz.

Na mesma nota, a RFEF anuncia que retirou do seu website todos os comunicados "inapropriados e que não tinham em conta as afirmações da jogadora sobres os atos".

"Os atos de Rubiales não representam os valores da RFEF e devem ser imputados exclusivamente a ele. Para que fique claro: a postura foi de Rubiales e não da federação. Temos vergonha pela dor e angústia que todo este incidente causou", pode ler-se.

Pedro Rocha explica que já está em curso uma "investigação exaustiva do que aconteceu e das medidas que Rubiales adotou nos dias seguintes. Todos os presidentes das federações que pediram a demissão de Luis Rubiales também estão comprometidos em levar para a frente uma revisão de todas as políticas da nossa organização".

"Por último, quero felicitar mais uma vez a nossa seleção pelo seu triunfo histórico, reconhecendo o impacto e o legado que deixará no futuro do nosso futebol. Temos a certeza que o espírito inspirou milhões de pessoas, de todas as idades, e não poderíamos estar mais orgulhosos. A seu tempo, tenho a intenção de lhes devolver todo o protagonismo e celebrar os feitos como merecem", conclui Pedro Rocha.

Pouco depois de a Espanha ter conquistado o título mundial na Austrália, em 20 de agosto, o presidente da federação de futebol espanhola, Luis Rubiales, deu um beijo de surpresa na boca da jogadora Jenni Hermoso.

A jogadora afirmou posteriormente que não tinha consentido o beijo, ao contrário do que disse Rubiales.

A atitude de Rubiales provocou a indignação internacional, mas o dirigente recusou demitir-se “por causa de um pequeno beijo consensual” e denunciou um processo provocado pelo que qualificou como um “falso feminismo”.

O anúncio, feito a 25 de agosto, foi aplaudido por quase toda a Assembleia Geral da Federação Espanhola de Futebol, incluindo os treinadores das equipas masculina e feminina. Nessa mesma noite, as 23 campeãs do mundo anunciaram que se recusariam a ser convocadas para a seleção nacional enquanto não houvesse uma mudança na direção da federação.

A FIFA, que reúne as federações de futebol nacionais a nível mundial, abriu um inquérito disciplinar contra Rubiales e suspendeu-o durante 90 dias enquanto decorre o processo.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+