Tempo
|
A+ / A-

Pelé (1940-2022)

A História do Rei do Futebol em golos que ficam para a eternidade

30 dez, 2022 - 12:39 • Marta Pedreira Mixão

Considerado por muitos como o melhor da história do futebol, Pelé morreu aos 82 anos, após várias semanas de internamento. Para trás, deixou 750 golos em pouco mais de 800 jogos oficiais por Santos, New York Cosmos e Seleção (77 golos em 92 internacionalizações). Não arriscamos fazer a lista dos melhores golos de Pelé porque seria sempre subjetiva, mas aqui ficam alguns dos melhores golos.

A+ / A-

Pelé foi uma das maiores figuras do panteão do futebol, um recordista de golos e o único jogador a conseguir conquistar três Campeonatos do Mundo, deixou 750 golos em jogos oficiais, mas em amigáveis ascendem aos 1.282.

0 "melhor" de sempre - AC Juventus-Santos (2/8/1959)

O golo, que ficou conhecido como um dos seus maiores de sempre, escolhido até pelo próprio, não foi filmado, vive apenas na memória dos sortudos que o viram ao vivo.

Contudo, podemos ter uma noção do que foi já que o recriaram digitalmente para um filme sobre Pelé. O vídeo é feito com base nos relatos de jogadores, fãs e jornalistas que estiveram no jogo histórico do Santos com a Juventus.

Já tendo marcado dois golos na partida, que estava 3-0, Pelé fez a vontade aos adeptos que "puxavam" por ele nas bancadas. Recebeu a bola de Dorval, fintou um primeiro jogador, desmarca-se à entrada da área e faz o primeiro de três chapéus que culminam com o seu golo de cabeça.

Mais tarde, a Juventus honrou Pelé pelo seu golo com uma estátua e uma placa comemorativa no estádio.

O primeiro do 'Rei' - Brasil-Gales (19/6/1958)

"Pelé não morre. O Pelé nunca vai morrer, vai continuar para sempre. Mas o Edson é uma pessoa normal que vai morrer um dia"- Pelé

O primeiro golo de Pelé no Mundial de 58, deu-se aos 66 minutos num difícil jogo frente ao País de Gales, nos quartos-de-final. De costas voltadas para o golo, Pelé, de 17 anos, controlou a bola com o peito e, rapidamente, passou por um defesa e rematou de pé direito para o canto da baliza.

O mais jovem Campeão do Mundo - Brasil-Suécia (29/6/1958)

"Tudo o que vês um jogador fazer, Pelé fez primeiro" - Erling Haaland

Na final contra a Suécia, Pelé marcou um dos golos mais famosos da história do futebol.

Pelé marcou seis golos no seu primeiro Mundial, incluindo dois na vitória por 5-2 na final contra os anfitriões. O seu primeiro golo deu ao Brasil uma vantagem de 3-1 ao minuto 55, e o segundo foi um cabeceamento perto do apito final para fechar o resultado. Mas o primeiro golo foi o mais impressionante.

Pelé tornou-se assim, o jogador mais jovem de sempre a jogar e marcar numa final, tinha 17 anos, sete meses e 23 dias.

O 'Gol de Placa' - Fluminense-Santos (5/3/1961)

"Pelé foi um dos poucos que contradisse a minha teoria: em vez de 15 minutos de fama, ele vai ter 15 séculos" - Andy Warhol

Ficou conhecido como o 'Gol de Placa', agora sinónimo de um "golo excecional", porque foi tão bom que foi distinguido com uma placa de bronze no Estádio do Maracanã.

Foi mais um dos golos de Pelé que não foi gravado, mas relatos da época diziam que Pelé atravessou quase toda a extensão do campo fintando os adversários antes de encontrar a rede para levar o santos a uma vitória por 3-1 frente ao Fluminense. A placa no Maracanã ainda diz: "Neste campo, a 5 de Março de 1961, Pelé marcou o golo mais bonito da história do Maracanã".

Apesar de não existir o vídeo do golo, as reconstituições recentes permitem ter uma ideia do que poderá ter sido.

Aplaudido de pé na Luz - Benfica-Santos (11/10/1962)

"Se Pelé não fosse homem, seria bola" - Armando Nogueira

Pelé marcou três golos no jogo decisivo contra o Benfica na Taça Intercontinental, levando o Santos a uma vitória por 5-2 e ao seu primeiro título do Mundial de Clubes. O seu segundo golo foi o mais impressionante, passou por dois defesas e rematou de pé esquerdo para o canto da baliza. No fim do jogo, mereceu aplausos de pé por parte dos adeptos nas bancadas da Luz.

O milésimo golo - Santos-Vasco (19/11/1969)

"Vê-lo a jogar era ver o encanto de uma criança combinado com a extraordinária graça de um homem em pleno" - Nelson Mandela

O golo mil não teve fintas nem chapéus, foi com a marcação de um penalti, num Estádio Maracanã cheio. Pelé sofreu falta e marcou penalti. Correu, fez uma paradinha e seguiu-se um remate rasteiro para o canto direito no minuto '78, dando ao Santos uma vitória por 2-1.

O guarda-redes do Vasco Andrada ainda adivinhou corretamente o lado, mas não conseguiu evitar o golo mil. Pelé correu para apanhar a bola dentro da baliza, enquanto jornalistas e fotógrafos invadiam o campo para registar o momento. O jogo foi interrompido durante vários minutos. Pelé levantou a bola enquanto se afastava da baliza e celebrava, contornando o campo junto da multidão. Embora fosse um jogo em casa do Vasco, a maioria das 65 mil pessoas no estádio torciam por Pelé, que dedicou o golo às crianças do Brasil.

Um fantástico pontapé de bicicleta - Cosmos-Miami Toros (10/8/1976)

"Recuso-me a classificar o Pelé como um jogador. Ele foi maior do que isso" - Puskás

Jogava na North American Soccer League (NASL), pelo New York Cosmos. Pelé marcou este golo de pontapé de bicicleta no último jogo do clube no Yankee Stadium, numa vitória de 8-2 dos Miami Toros.

Depois de um cruzamento do flanco direito para a área, Pelé pontapeou a bola com o pé direito para o fundo da baliza.

O último num Mundial - Brasil-Itália (21/6/1970)

Pelé marcou o seu 12.º e último golo em Mundiais com um cabeceamento notável para lá do guarda-redes italiano Enrico Albertosi, perante mais de 107 mil pessoas no Estádio Azteca, abrindo assim o caminho para a vitória do Brasil por 4-1 e para um terceiro título mundial. Depois de um cruzamento do flanco esquerdo por Rivelino, Pelé saltou alto no ar atrás de um defesa italiano e cabeceou a bola para o canto da baliza.

O último de sempre - Santos-Cosmos (1/10/1977)

No seu jogo de despedida, um amigável entre o Santos e o New York Cosmos, no Estádio dos Giants, Pelé jogou uma parte por cada equipa. Mas foi com o Cosmos que marcou de pontapé livre pouco antes do intervalo.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+