A+ / A-

Mundial 2022

Mão de Suárez em 2010 ainda atormenta o Gana. "Não foi culpa minha que falharam o penálti"

01 dez, 2022 - 11:43 • Redação

No Mundial da África do Sul, Suárez protagonizou "a mão de Deus" dos tempos modernos. Defendeu um cabeceamento com as mãos e foi expulso em cima do minuto 120. O Gana falhou o penálti e acabou eliminado nas grandes penalidades. Passaram-se 12 anos. O Gana não esqueceu.

A+ / A-

A "mão de Deus" da era moderna do futebol ainda é assunto no Gana, na antecâmara do reencontro frente ao Uruguai.

Nos quartos de final do Mundial 2010, na África do Sul, Luis Suárez defendeu um cabeceamento com as mãos no minuto 120 do prolongamento frente ao Gana. O avançado foi expulso, mas Asamoah Gyan falhou a grande penalidade.

O jogo foi para o desempate por penáltis e o Uruguai acabou mesmo por eliminar o Gana. O "crime" de Suárez compensou, que assistiu aos penáltis junto ao túnel.

12 anos depois, as duas seleções voltam a defrontar-se num Campeonato do Mundo. Um jornalista disse que Suárez é, até hoje, visto como "o diabo" no Gana por nunca ter pedido desculpa. Questionado sobre o assunto, o avançado não sente que se tenha de desculpar.

"O jogador do Gana é que falhou o penálti, não fui eu. Pediria desculpa se tivesse feito uma falta e lesionado um jogador, mas não foi culpa minha que o jogador falhou o penálti", disse.

As duas equipas reencontram-se na sexta-feira e com um lugar nos oitavos de final em discussão.

O Gana só depende de si para seguir em frente e o empate pode até ser suficiente caso a Coreia do Sul não vença Portugal. O Uruguai segue em frente se vencer o Gana e se a Coreia do Sul também não vença Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+