Tempo
|
A+ / A-

Hélder Cristóvão

Cristiano Ronaldo no Al Nassr colocaria futebol saudita "noutra dimensão"

30 nov, 2022 - 18:45 • Rui Viegas

Hélder Cristóvão, antigo coordenador técnico e treinador do Al Nassr, duvida da contratação do capitão da seleção nacional, que "seria a principal bandeira" do futebol saudita e da Arábia.

A+ / A-

Hélder Cristóvão acredita que, mais do que o clube, Cristiano Ronaldo no Al Nassr mudaria a face do futebol saudita e de toda a Arábia.

De acordo com a "Marca", CR7 está perto de assinar contrato de dois anos e meio com o Al Nassr, atual segundo classificado do campeonato da Arábia Saudita. Os números são astronómicos: vencimento de 200 milhões por temporada, com os acordos publicitários já incluídos.

Ouvido por Bola Branca, Hélder Cristóvão, que foi coordenador técnico e treinador do Al Nassr, considera que estamos perante uma contratação que iria mexer, e muito, com todo o futebol saudita e árabe. Cristiano Ronaldo "seria a principal bandeira do futebol saudita e vem entroncar, um pouco, com o que eles estão a fazer no Campeonato do Mundo".

"Ou seja, ajudando a promover a liga saudita", explica, acrescentando:

"Estamos a falar de uma ida de Ronaldo para o Al Nassr, que vai envolver não só o clube mas também o país. Riade tem resorts, hotéis e casas fantásticas e ele, nesse campo, não teria problema nenhum. A maior dificuldade seria no dia a dia: treinar à noite ou os árbitros locais. Mas estamos a falar de uma mega-estrela e, se isto acontecer, vai pôr o campeonato e o país noutra dimensão. Parte da ideia será essa."

O antigo internacional português revela que o Al Nassr é "patrocinado diretamente" pelo príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman Al Saud, "por isso será, talvez, a maior potência económica do país".

"O Al Hilal é o grande rival, mas o Al Nassr conseguiu reestruturar-se como clube e como marca e criou condições de excelência", refere.

Todavia, Hélder Cristóvão tem dúvidas que a notícia se confirme, pois considera que uma eventual parceria do capitão da seleção nacional com o futebol saudita envolveria "uma parceria para o futuro e não de imediato" e processar-se-ia mais facilmente através da "marca Ronaldo".

"Para ser o mais sincero possível, não estou a ver Ronaldo entrar num projeto destes. Não vai desperdiçar os últimos anos da sua carreira, quando pode ainda jogar em campeonatos que lhe permitam outro estatuto", finaliza o antigo central, em entrevista à Renascença.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+