Tempo
|
A+ / A-

“Ninguém aqui no Qatar é pago para apoiar a seleção portuguesa”, garante "fan leader"

14 nov, 2022 - 09:40 • Olímpia Mairos

Elisabete Reis, "fan leader" no Qatar dos adeptos da seleção de Portugal, desmente notícias de que fãs da seleção vão ao Qatar pagos para apoiar a equipa das quinas.

A+ / A-

“Ninguém aqui no Qatar é pago para apoiar a seleção portuguesa, nem eu nem os restantes fãs”, a garantia é dada por Elisabete Reis.

A portuguesa que reside no Qatar desde 2006 foi convidada pelo Comité Organizador do Qatar 2022 para ser "fan leader" dos adetpos da seleção nacional no Qatar. Convite que aceitou, disse na altura, “com muita alegria e orgulho”.

Desmentindo as notícias veiculadas por alguns meios de comunicação social que referem que os fãs da seleção portuguesa no Qatar são pagos para apoiar a seleção nacional, Elisabete Reis garante que "não é necessário ser português para apoiar a seleção de Portugal".

"Contamos com adeptos de muitas nacionalidades, devemos estar orgulhosos nisso. Não pagamos a ninguém para gostar de Portugal ou da nossa seleção”, refere Elisabete Reis, em comunicado, em resposta à polémica sobre o evento que organizou na passada sexta-feira, 11 de novembro, no qual participaram adeptos da seleção Portuguesa de várias nacionalidades.

Elisabete Reis tem representado Portugal nos eventos que o Departamento de Fãs do Mundial 2022 está a promover e organizado e dinamizado eventos para congregar os fãs da seleção portuguesa.

“Os eventos do Portugal Fans Qatar Group são totalmente independentes do Comité Organizador e da FIFA e não recebem quaisquer apoios financeiros”, assegura.

Elisabete Reis é portuguesa, nasceu em Maputo, os seus pais são naturais de Fátima e de Ourém. A sua infância e juventude foram vividas em Fátima, Mafra e Lisboa. O percurso profissional de Elisabete Reis começou em Macau aos 23 anos, onde viveu e conheceu o seu marido. Casada com Miguel Heitor é mãe de três filhos. O projeto empresarial de Elisabete Reis, Glam Your Image, foi fundado em 2008 no Qatar e é a partir deste país que se afirma internacionalmente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+