Tempo
|
A+ / A-

Itália

Miccoli, ex-Benfica, condenado a três anos e meio de prisão

24 nov, 2021 - 16:49 • Lusa

Antigo jogador é condenado por extorsão com auxílio da máfia.

A+ / A-

O antigo futebolista italiano Fabrizio Miccoli, ex-avançado do Benfica, foi condenado a três anos e meio de prisão efetiva por extorsão com auxílio da máfia, anunciou a justiça italiana.

A Suprema Corte de Cassação, a última instância de recurso da justiça italiana, confirmou a punição a Miccoli, que já se apresentou na prisão de Rovigo, na região de Véneto, no norte do país, para cumprir a pena.

"Sou um jogador de futebol. Não sou um mafioso. Sou contra as ideias da máfia", disse Miccoli em 2017, altura em que a primeira sentença foi pronunciada por um tribunal italiano.

De acordo com ministério público italiano, ficou provado que o antigo internacional italiano tentou extorquir dinheiro a um proprietário de clube de diversão noturna em 2010, quando alinhava no Palermo, tendo recorrido a ameaças e violência com o auxílio da máfia.

Em 2017, o caso de Miccoli chegou mesmo ao parlamento italiano, tendo sido apontado como um exemplo da ligação cada vez maior entre o mundo do futebol e a máfia.

O ex-avançado representou o Benfica em 2005/06 e 2006/07, depois de já ter passado por Juventus, Fiorentina, Ternana e Perugia.

Após abandonar o clube da Luz, Miccoli passou seis temporadas no Palermo e representou ainda o Lecce, antes de terminar a carreira no futebol de Malta.

Atualmente com 42 anos, o ex-jogador representou a seleção italiana em 10 ocasiões, tendo marcado dois golos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+