Tempo
|
A+ / A-

Antigo opositor confia em Fernando Gomes para “tomar uma decisão justa” sobre próximo selecionador

21 dez, 2022 - 18:19 • Pedro Castro Alves

Carlos Marta acredita que a escolha do próximo treinador da seleção nacional “vai corresponder às expectativas” e “é normal” que se estejam a ponderar todas as possibilidades. Título de sócio de mérito a Fernando Santos “é merecido”.

A+ / A-

Carlos Marta, candidato à presidência da Federação Portuguesa de Futebol em 2011, quando perdeu para Fernando Gomes, considera “normal” que a escolha do próximo selecionador nacional seja demorada, para “não tomar decisões a quente”.

“É normal que o presidente da FPF e a sua equipa estejam a ponderar todas as possibilidades. Com bom-senso e responsabilidade, que tem sido um sinal positivo da liderança de Fernando Gomes, tomarão uma decisão que seja justa e que possa defender os interesses do futebol português”, diz, em Bola Branca.

Sobre o futuro técnico da equipa das quinas, Carlos Marta sublinha que existem “muito bons treinadores portugueses, em Portugal e no estrangeiro”, mas recusa avançar com nomes, já que confia na capacidade de Fernando Gomes.

“É uma responsabilidade da FPF, mas tem um leque muito alargado de escolhas, pelo que será uma escolha difícil. Ainda assim, estou certo de que a escolha vai corresponder às expectativas e vai criar condições para que o futebol português possa continuar a ter muito bons resultados”, explica, em entrevista à Renascença.

Reconhecimento “justo”

O ex-selecionador Fernando Santos tornou-se sócio de mérito da Federação Portuguesa de Futebol, depois da proposta ter sido aprovada em reunião da direção. Carlos Marta sublinha que esta é uma “atribuição justa”.

“A FPF e Fernando Gomes tomaram uma boa decisão. Nos próximos tempos terá certamente outras honras, sobretudo da parte do governo e da presidência da república porque, como treinador e como pessoa, merece todas as distinções”, conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+