Tempo
|
A+ / A-

Futsal

Bebé, o guarda-redes campeão do mundo que não é jogador profissional

04 out, 2021 - 13:52 • Redação

Guardião dos Leões de Porto Salvo e João Matos abordaram a conquista do Campeonato do Mundo, na Cidade do Futebol.

A+ / A-

Bebé foi o guarda-redes titular da seleção nacional durante o Mundial de futsal e é o único jogador dos convocados que não é jogador profissional. Aos 38 anos, o guarda-redes dos Leões de Porto Salvo destaca o percurso feito para poder ser convocado.

"Saí do Benfica e fui para uma realidade nova [em 2017], sabia que o nível ia baixar e tinha de lutar contra isso. Sou o único jogador que não é profissional dos 17. Acordar às 6h30, ir treinador, depois ir trabalhar e treinar novamente. Com 38 anos, sabia que era difícil, mas trabalhei e consegui. Agradeço à minha família e aos meus treinadores. Sem elas, não estaria aqui e não tinha esta tão desejada medalha", disse, na Cidade do Futebol.

O guarda-redes falou ainda sobre o lance da bola ao poste nos últimos segundos da final frente à Argentina.

"É difícil explicar, são muitas emoções, só queríamos que o tempo corresse. Com a bola no poste, vai diretamente para o Erick e acabou. Já não nos fugia. Passou-me tantas coisas pela cabeça, o objetivo foi cumprido", atira.

Já João Matos diz que o grupo ainda não está ciente do feito que alcançou.

"Não estamos bem cientes e da grandiosidade do feito, não só para o futsal como o desporto todo nacional. Foi uma noite de festejo, de maluqueira e emoção. Nenhum de nós ainda tem noção do feito. O dia que deixarmos de jogar é que vamos olhar para trás e ver o quão bonito foi esta história, conseguir o Europeu e o Mundial juntos pela primeira vez na história", atira.

O jogador de 34 anos diz que sentiu a Argentina "bastante nervosa, com poucas soluções e a jogar no nosso erro. Estivemos confortáveis sem bola, soubemos sofrer e faz parte".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+