Tempo
|
A+ / A-

Noronha Lopes não se candidata à presidência do Benfica, mas não vai apoiar Rui Costa

09 set, 2021 - 17:04 • Redação

O principal adversário de Luís Filipe Vieira nas últimas eleições garante que não vai apresentar-se ao próximo ato eleitoral, marcado para 9 de outubro.

A+ / A-

João Noronha Lopes garantiu, esta quinta-feira, que não vai candidatar-se à presidência do Benfica.

"Tomei a decisão de não me candidatar. Foi uma das decisões mais difíceis da minha vida. Esta decisão tem a ver com fortes razões familiares e profissionais. As circunstâncias atuais da minha vida não me permitem uma recandidatura", disse, em conferência de imprensa.

Noronha Lopes foi o candidato derrotado por Luís Filipe Vieira nas eleições de outubro do ano passado. Vieira venceu com cerca de 62% dos votos, seguido de Noronha Lopes, que amealhou 34%.

"Candidatei-me às últimas eleições porque considerei que era necessário virar a página e lutar por um Benfica mais credível. Denunciei os vícios do Vieirismo e os riscos que o nosso clube corria. Na noite da votação, disse que não seria candidato. Falei o que pensava. Sabia e sei que o Benfica merece um presidente a tempo inteiro, e achava que essas circunstâncias na minha vida não se iam repetir", explica.

O empresário assume, porém, que ponderou candidatar-se novamente "face às circunstâncias graves que levaram à saída do anterior presidente".

Rui Costa não terá o seu apoio

Noronha Lopes deixou ainda críticas a Rui Costa, antigo vice-presidente do Benfica e que assumiu a posição após a saída de Luís Filipe Vieira.

"Tenho admiração de Rui Costa enquanto jogador. Enquanto dirigente não vou apoiar Rui Costa", disse.

Noronha Lopes já se tinha mostrado a favor de eleições no clube após a demissão de Vieira e deixou críticas ao processo eleitoral e a forma como está a ser preparado. O antigo candidato sublinha as críticas.

"O problema não é das eleições serem cedo demais, o problema é serem feitas à pressa e sem que se conheçam as regras com as quais vão decorrer. Estes sinais não sugerem uma mudança relativamente às práticas do passado. Reforça a minha convicção de que quem fez parte do passado recente do Benfica não tem condições para construir o seu futuro", continuou, antes de questionar se Rui Costa e a direção de Vieira têm condições para dirigir o clube.

"Há uma responsabilidade de quem deveria ter perguntado, averiguado ou, no mínimo, ter saído no final. Que cada um faça uma profunda reflexão se reúne as condições necessários para o cargo que vai ocupar sem que esteja envolvido em qualquer caso que manche o nome do Benfica", termina.

O Benfica vai a eleições no dia 9 de outubro. A direção do Benfica, liderada por Rui Costa, demitiu-se em bloco a 1 de setembro, após o fecho do mercado de transferências.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    10 set, 2021 Funchal 13:01
    Claro, neste momento ninguém ganha ao Rui.

Destaques V+