Euranet
Visto de Fora
Begoña Iñiguez e Olivier Bonamici comentam, semanalmente, o país, os portugueses e a Europa. O ponto de vista espanhol e francês para ouvir à sexta-feira às 10h20.
A+ / A-
Arquivo
Cimeira de Vilnius coloca Ucrânia às portas da NATO "sem teorias de complot"
Clique na imagem para ouvir este episódio do Visto de Fora

Visto de fora

Cimeira de Vilnius põe Ucrânia às portas da NATO "sem teorias de complô"

14 jul, 2023 • André Rodrigues


Nesta edição, o que fica da cimeira da NATO, o que pode esperar a Espanha depois do debate entre os líderes do PSOE e do PP e a divisão no Parlamento Europeu sobre o pacto para a preservação da biodiversidade. No plano nacional, duas polémicas: as buscas no PSD e (ainda) a Comissão de Inquérito à TAP.

Nesta edição do Visto de Fora, Olivier Bonamici diz não ver contradição entre os recados de Zelensky aos aliados - depois de ter saído da Lituânia sem um convite de adesão à NATO - e o reconhecimento de que são legítimos os receios de uma globalização da guerra.

"Eu entendo perfeitamente a posição dele", diz o jornalista francês que antecipa "um processo muito longo, mas pode servir de ponto de negociação para o fim da guerra". Tudo irá depender das cedências que o governo de Kiev estiver disposto a fazer, numa altura em que a Crimeia parece ter desaparecido das exigências ucranianas de recuperação de todo o território ocupado pela Federação Russa.

"Um banho de realidade" para Zelensky, assinala Begoña Iñiguez que diz não ter dúvidas de que a questão da Crimeia "vai ser um tema muito quente" nas negociações.

Os dois correspondentes analisaram também a aprovação pelo Parlamento Europeu da Lei do Restauro da Natureza, cujo objetivo é garantir um planeta habitável para as gerações futuras.

Tal como acontece com o impasse global em torno das alterações climáticas, Olivier Bonamici considera "inacreditável" que perante "os sinais que a Terra nos vai dando" haja forças políticas, sobretudo mais à direita, que negam as evidências e boicotam a urgência de cuidar dos recursos naturais com racionalidade.

De Bruxelas, fazemos a ponte até Espanha onde todas as sondagens apontam para uma vitória do PP, mas com Alberto Nuñez Feijóo a necessitar do apoio do partido de extrema-direita Vox para assegurar a governabilidade.

Tal como os analistas políticos espanhóis, também Begoña Iñiguez acredita que o líder do PP "foi claramente o vencedor" no debate com Pedro Sanchéz que poderá ter sido decisivo, embora ainda estejamos a mais de uma semana do ato eleitoral.

No plano nacional, destaque para as buscas no PSD e para o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito à TAP, votado esta semana, e cujo trabalho dos deputados mereceu reiteradas críticas, nomeadamente do ministro da Cultura.

Apesar de ambos reconhecerem a Pedro Adão e Silva o direito de ter opinião, Begoña e Olivier lembram que se trata de um ministro. E não de um comentador televisivo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.