Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

Sem Pelé o mundo fica mais pobre

30 dez, 2022 • Opinião de Ribeiro Cristovão


A memória dos seus feitos vai perdurar durante séculos.

Ainda mal refeito do desaparecimento de Diego Maradona, o mundo do futebol voltou ontem a sofrer um duro golpe, ao tomar conhecimento da morte de Edson Arantes do Nascimento, conhecido em todos os continentes como Pelé.

Não se tratou propriamente de uma surpresa.

Há vários dias que o estado de saúde do Rei espalhara preocupação por todo o lado, pelo que o desenlace era aguardado a qualquer momento. A notícia varreu ontem o Brasil e, com ele, todas as nações, causando a maior consternação.

Pelé nascera numa pequena cidade do interior de Minas Gerais.

Foi muito cedo para São Paulo, e aí, com apenas 15 vestiu pela primeira vez a camisola do Santos, o seu clube de sempre.

A selecção brasileira viria abri-lhe as portas em 1958,quando tinha atingido os 17 anos, e foi nesse tempo que ajudou a ganhar o primeiro campeonato do mundo, disputado então na Suécia.

Em 1962, no Chile, deu também o seu contributo para a reconquista do troféu mas, quatro anos depois, sucumbiu na Inglaterra frente à selecção portuguesa de Eusébio.

Porém, só teve de esperar quatro anos, porque em 1970, no México, tornava-se tricampeão, feito nunca mais alcançado, até hoje, por qualquer outro futebolista.

A vida de Pelé proporcionou-lhe longas metragens no cinema e na televisão, gravou discos, escreveu poemas, fez da sua actividade um hino à vida, toda ela marcada por sucessos, embora também com alguns momentos difíceis, à mistura. No seu país, no tempo da ditadura dos coronéis, soube orientar o seu percurso de uma forma notável, convivendo com todas as circunstâncias, sem nunca trair os princípios que havia imposto a si próprio.

Sem Pelé, o mundo fica mais pobre.

Mas a memória dos seus feitos vai perdurar durante séculos, porque Homens como Pelé não nascem todos os dias.

A lenda não morrerá!

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.