Tempo
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​A seguir, vamos ao que interessa, ou seja, ganhar

30 nov, 2022 • Opinião de Ribeiro Cristovão


A nossa seleção deixou em campo a sua marca, e a garantia de que todos podemos contar com a sua entrega nos compromissos que se seguirão.

O debate sobre o primeiro golo de Portugal frente à seleção do Uruguai correu mundo e instalou-se também em Portugal. Naturalmente. É que sempre que Cristiano Ronaldo sobe a primeiro plano, os sinos badalam em todo o lado, atingindo por vezes barulho ensurdecedor.

Foi que aconteceu no segundo desafio da nossa equipa na fase grupos deste Mundial: Bruno Fernandes saca de um cruzamento perfeito, Cristiano Ronaldo tenta confirmar o lance que já parecia traduzir-se em golo, o guarda-redes uruguaio deixa-se enganar pelo gesto de CR7, e a bola instala-se no fundo da baliza, colocando o país em delírio, e a nossa seleção à porta de entrada dos oitavos-de-final.

Foi quanto bastou para que a discussão atingisse foros de uma dimensão incompreensível.

Até a circunspecta FIFA, que sobre direitos humanos não tem opinião, se apressou a comunicar ao globo, que iria estudar o assunto e dar uma resposta em curto espaço de tempo.

E foi o que aconteceu. Logo pela manhã surgia a notícia de que o golo inaugural de Portugal era pertença de Bruno Fernandes, tendo assim Ronaldo que esperar para bater o record de Eusébio, ainda e vigor, e sabe-se lá por mais quanto tempo. Trata-se poder vir a ser também o melhor marcador de uma fase final de Campeonato, mais uma proeza que o nosso madeirense persegue.

Colocando de lado uma questão tão insignificante, eis-nos já apurados para a fase seguinte do campeonato do Mundo, estando ainda por saber se na condição de lideres do Grupo H,a que pertencemos ou, se, em segundo lugar frente ao adversário, aquilo que menos se deseja nesta altura.

Tendo obtido duas vitórias em outros tantos jogos disputados, Portugal foi um vencedor justo, ainda que essa proeza não tenha sido alcançada através de outras tantas exibições de muita qualidade. Ainda assim, a nossa seleção deixou em campo a sua marca, e a garantia de que todos podemos contar com a sua entrega nos compromissos que se seguirão.

Vale a pena esperar, confiantes, pela próxima sexta-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Rocha
    30 nov, 2022 Leça da Palmeira 10:10
    Caro Ribeiro Cristóvão: Lamento o que escreve. A atitude de Cristiano é no mínimo lamentável. Este demonstrou ter tanta capacidade como goleador, como mentiroso! Mostrou ao mundo que o seu ego é do tamanho da sua imensa desonestidade intelectual! Cristiano sabe, sempre soube mais do que qualquer outro, que nunca tocou naquela bola. E, não lhe chegando a importante participação que teve no golo ao saltar, retirou e continuou a querer retirar (usando inclusive a arma das redes sociais) a glória ao verdadeiro e principal responsável pelo golo de Portugal. Os exemplos maus de Cristiano como Ser Humano são vários e graves. É isso que o fará participar, apenas, da pequena história. O senhor deveria ter pensado nisso. A dimensão incompreensível (são palavras suas) deste episódio radica na lamentável atitude de um "endeusado" de quem se omitem muitos dos seus defeitos que eu esperava que de sua parte não obtivessem colaboração. Cumprimentos José Rocha