Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
João Ferreira do Amaral
Opinião de João Ferreira do Amaral
A+ / A-

Crise económica em 2023?

18 nov, 2022 • Opinião de João Ferreira do Amaral


A Comissão Europeia apresentou recentemente as suas previsões de Outono para 2023 e 2024.

Claro que a grande incerteza reinante na economia e na política mundial faz-nos valorizar mais as previsões para 2023 pois, apesar de tudo, são menos incertas que as previsões para 2024.

O que a Comissão prevê para 2023 é uma desaceleração forte do crescimento económico na União Europeia, dos 3,3% previstos para 2022 para 0,3% em 2023.Teremos assim uma quase estagnação no próximo ano, mas não uma queda do PIB, embora alguns dos países que fazem parte do espaço europeu possam apresentar quedas da actividade económica.

Um outro dado importante é a desaceleração da inflação prevista para 2023. Para a zona euro, é prevista uma desaceleração dos 8,5% em 2022 para 6,1% em 2023.

O que se pode dizer destes valores? Se as previsões forem confirmadas pela realidade, o cenário não será de crise. Haverá uma desaceleração forte da actividade, mas isso, como se costuma dizer, é o pão-nosso de cada dia das economias modernas. E como nem sequer se prevê uma queda da actividade, estamos efectivamente longe de um cenário de crise. E também é assim no que respeita à inflação. O crescimento de preços previsto para 2023, 6,1%, embora superior ao objectivo permanente que a zona euro tem dum crescimento de preços não superior a 2%, está longe de traduzir uma situação de crise inflacionista grave.

Artigos AnterioresJoão Ferreira do Amaral

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.