Tempo
|
João Duque n´As Três da Manhã
Terças e quintas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
Banco de Fomento. “O que nasce torto, tarde ou nunca se endireita”

João Duque

Banco de Fomento. “O que nasce torto, tarde ou nunca se endireita”

20 out, 2022 • Miguel Coelho , Cristina Nascimento


Comentador da Renascença olha para o funcionamento desta instituição criada para promover a modernização das empresas.

O comentador da Renascença critica a forma de funcionamento do Banco Português de Fomento. João Duque considera que esta instituição dá razão ao provérbio popular "o que nasce torto, tarde ou nunca se endireita".

O comentário surge depois do Banco de Fomento ter anunciado lucros de 135%, quase 23 milhões de euros, quando em contrapartida há queixas dos empresários de atrasos e insuficiência dos apoios às empresas, nomeadamente a mais recente linha de crédito para ajudar a suportar os custos da energia que, um mês depois de ter sido anunciada, ainda não saiu do papel.

"São feitos muitos anúncios, repetidos os valores dos montantes anunciados, e depois a execução, a forma como se faz chegar os valores às empresas, é muito complicado, é moroso e perde o timing", acrescenta o economista.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.