João Duque n´As Três da Manhã
Terças e quintas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
“Reverter a privatização da TAP foi um erro político”

Joao Duque

“Reverter a privatização da TAP foi um erro político”

14 out, 2022 • Olímpia Mairos


O comentador analisa o futuro da empresa e o ziguezague do Governo em relação à transportadora aérea.

O comentador d’As Três da Manhã considera que reverter a privatização da TAP foi “um erro político”, explicando que “o princípio de que a TAP tinha que ser nacionalizada é baseada numa concessão política, não é uma concessão financeira”.

“Nunca foi argumentado o problema de natureza financeira e, portanto, a questão era política. Fez-se, aparentemente uma reestruturação que ainda estamos para ver se é positiva e se resultou”, acrescenta.

Segundo João Duque, há um erro e esse erro tem um preço, assinalando que “para já foram 3,2 mil milhões de euros que os portugueses suportaram através dos seus impostos, estão a suportar, o que dá 320 euros por cabeça, não contando aqueles que pagam mais impostos ou menos”.

O comentador alerta ainda que agora é preciso ver se “alguém quer comprar a TAP e quanto é que pede para isso”, admitindo que poderemos estar perante um caso semelhante ao Novo Banco ou ao Banif, “que para ser vendido, teve que se colocar dinheiro em cima para alguém assumir essa responsabilidade”.

Ter uma companhia de bandeira, como o Governo chegou a defender, pode fazer sentido no entender do comentador, mas é preciso saber quanto “custa para um país que tem dificuldade em acudir às suas necessidades maiores”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.