Tempo
|
Hora da Verdade
Uma parceria entre a Renascença e o jornal “Público”. Entrevistas aos protagonistas da atualidade. Quinta às 23h20.
A+ / A-
Arquivo
Entrevista a Marina Gonçalves

Hora da Verdade

Entrevista a Marina Gonçalves

23 fev, 2023


A ministra da Habitação, Marina Gonçalves, é a entrevistada desta semana do programa Hora da Verdade, da Renascença e do jornal Público.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    28 fev, 2023 Lisboa 08:52
    O governo precisava urgentemente de desviar atenções da carrada de casos, casinhos e casões, mais as trapalhadas onde anda metido, e descobriu uma mina, nestes powerpoints da Habitação - porque é disso que se trata, só para desviar atenções - e nesta ministra. Esta Marina Gonçalves nem sequer é uma picareta falante: é um verdadeiro martelo pneumático, tal a quantidade de entrevistas para os mais diversos órgãos de comunicação social que ela deu, nos últimos dias. Pega em qualquer deixa e as palavras saem-lhe de rajada. O discurso é redondo e pouco ou nada adianta, mas é articulado, soa bem aos ouvidos e sobretudo, engana bem. Está visto como passou que nem um foguete, de chefe de gabinete a secretária de Estado e quase de imediato a ministra da República. Metade das medidas que defende, são inconstitucionais e violam frontalmente o direito europeu, que se sobrepõe ao nacional e ainda bem. Valha-nos isso, porque de outro modo, com a Justiça que temos, estávamos bem arranjados. Mas claro, a ideia não é resolver o problema da Habitação, mas desviar atenções das trapalhadas do governo. E nisso estão a ter ótimos resultados