Histórias do Europeu
A Renascença conta-lhe as glórias e as desventuras dos Campeonatos da Europa de futebol, uma história que tem início em 1960 e que se estende até aos dias de hoje. E há de tudo: lendas, vitórias épicas, derrotas inesperadas, golos especiais e episódios memoráveis. “Histórias do Europeu” é um programa para ouvir de segunda a sexta, ao meio-dia e às oito da noite, na Renascença e, sempre que quiser, em podcast.
A+ / A-
Arquivo
O drama de Christian Eriksen: o episódio 17 do “Histórias do Europeu”

"Histórias do Europeu"

O tombo de Christian Eriksen: o episódio 17 do “Histórias do Europeu”

05 jun, 2024 • Luís Aresta


Neste 17.º episódio do podcast, o jornalista Luís Aresta conta-lhe sobre o momento em que o futebolista dinarmaquês caiu na relva durante um jogo. A Renascença conta-lhe as glórias e as desventuras dos Campeonatos da Europa de futebol. De 1960 aos dias de hoje… há de tudo: lendas, vitórias épicas, derrotas inesperadas, golos especiais e episódios memoráveis!

O momento dramático, talvez o mais dramático da história dos Europeus de futebol, aconteceu há três anos em Copenhaga.

A 12 de junho, Christian Eriksen caiu inanimado no relvado, ao minuto 42 do jogo de estreia da Dinamarca contra a Finlândia, no Parken Stadium. O jogador dinamarquês tomba desamparado quando um colega de equipa lhe passa a bola num lançamento lateral.

Um profundo silêncio instala-se nas bancadas.

Terá Eriksen morrido?

Não seria o primeiro caso nos estádios. Em Portugal, dois casos ficaram para a história: em dezembro de 1973, Pavão morreu a jogar pelo FC Porto, ao minuto 13 de um jogo da jornada 13. E fez em janeiro 20 anos que o húngaro Miklos Feher, do Benfica, tombou no relvado em Guimarães para não mais se levantar.

O fim da história de Eriksen seria mais feliz, apesar das lágrimas que inundaram os olhos de jogadores e espectadores quando o dinamarquês cai inanimado. Colegas de equipa e adversários escudaram Eriksen dos olhares alheios. A assistência médica entrou prontamente em campo. Seguem-se longos minutos de ansiedade até que o jogador é retirado em maca e transportado para o hospital, enquanto nas bancadas se clama em uníssono por Eriksen.

O médico da seleção dinamarquesa confessa mais tarde ter chegado a pensar que o jogador se "tinha ido", mas em boa verdade o seu coração apenas tinha parado na hora certa e no momento certo para que pudesse sobreviver.

O jogo foi reatado.

A Dinamarca sai derrotada por 1-0, mas nessa noite, em Copenhaga, os grandes vencedores foram Eriksen e o verdadeiro espírito do futebol.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.