Tempo
|
Henrique Monteiro n´As Três da Manhã
Terças e quintas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
“Se o objetivo de Putin era dividir a Europa e a NATO aconteceu o contrário”

Henrique Monteiro

“Se o objetivo de Putin era dividir a Europa e a NATO aconteceu o contrário”

28 jun, 2022 • Olímpia Mairos


O comentador antecipa que a cimeira, que vai decorrer em Madrid, “vai mudar muita coisa”.

Madrid acolhe nos dias 29 e 30 de junho a Cimeira da NATO, vista por muitos como uma cimeira história da Organização do Tratado do Atlântico Norte, marcada pela guerra da Ucrânia.

O comentador d’As Três da Manhã antevê que a cimeira “vai mudar mesmo muita coisa”.

“Desde logo a presença da NATO no Leste”, aponta Henrique Monteiro, referindo-se ao número de homens que passa “de 40.000 para 300.000”.

“Isso é logo uma mudança brutal”, assinala, acrescentando que a segunda mudança “é que a Rússia, que tinha desaparecido como potencial inimigo ou potencial ameaça da NATO, volta a esse lugar honroso de potencial e principal inimigo da NATO”.

Como terceira mudança aponta o possível entendimento entre a Turquia, a Finlândia e a Suécia com vista à adesão à NATO destes dois países.

O comentador destaca ainda que “desaparece a ideia de autonomia estratégica da Europa sem os Estados Unidos”.

Por fim, sublinha que “os 2% que os Estados Unidos imploravam que os Estados europeus gastassem na Defesa, e que muitos nunca cumpriam, hoje já parece pouco mesmo aos países europeus”.

“Se o objetivo de Putin era dividir a Europa e a NATO aconteceu o contrário”, remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    28 jun, 2022 Lisboa 14:03
    Por cá, pelo menos, essa meta dos 2% não vai ser cumprida, nem este ano nem no próximo, mais que provável. O PM já começou a falar nas "necessidades de outros setores", sinal mais que evidente que as conversas não passaram disso mesmo: conversas e promessas fáceis de fazer, difíceis de cumprir. Preferimos continuar a mandar 18 homens para exercícios militares conjuntos de 30 000 homens, ter Artilharia sem treinar porque não há munições, ter 15 blindados obsoletos bloqueados cá pois não há verba para os mandar para a Ucrânia e estamos à espera de boleia dos Ingleses, coisas assim.