Tempo
|
Graça Franco n´As Três da Manhã
Terças e quintas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
Futuro do PSD. Tudo pode começar na Câmara de Lisboa
Futuro do PSD. Tudo pode começar na Câmara de Lisboa

Graça Franco

Futuro do PSD. Tudo pode começar na Câmara de Lisboa

19 out, 2021 • Olímpia Mairos


Para a comentadora, Rui Rio é um resiliente e, por isso, não acredita que “atire a tolha ao chão e até é provável que vá recandidatar-se”.

A comentadora d’As Três da Manhã destaca a plateia de notáveis e de quadros do PSD na tomada de posse de Carlos Moedas como presidente da Câmara de Lisboa para afirmar que “cheira a poder”.

“Todas as tendências do PSD estavam ali representadas com Rui Rio desconfortável até na cadeira, naquele isolamento a que se se votou ou que os outros o votaram”, observa.

“Aquilo que Rui Rio não teve, a noção que passou de que o PSD estava esgotado, que não havia ali nenhuma alternativa, nem sequer havia quadros para fazer Governo, ontem, Moedas provou que não é assim”, sublinha.

Graça Franco diz também que no discurso como presidente da autarquia, Moedas provou que está preparado para qualquer função e, por isso, “tudo pode começar na Câmara de Lisboa”.

A comentadora considera que Moedas mostrou que sabe fazer a ponte, ou seja, reivindica para si uma legitimidade democrática para o seu programa, mas mostrou também que “é capaz de ouvir os outros e fazer os necessários compromissos” e isso pode ser “um mau sinal para Rui Rio”.

Ainda assim, Graça Franco afirma que Rui Rio é um resiliente, “tem sempre uma energia renovada, quando a coisa parece mais difícil” e, por isso, não acredita que “atire a tolha ao chão e até é provável que vá recandidatar-se”, algo que a comentadora não aconselharia, “porque Paulo Rangel surgiu com uma força muito grande”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    20 out, 2021 ILHAVO 13:01
    Ms. "Wishful Thinker" à descoberta de "talentos improváveis e invisíveis". Quando na CML chegarem à discussão das políticas de habitação (mercado de arrendamento, etc.), vamos ver o talento que há para "pontes".
  • Carlos
    19 out, 2021 Lisboa 21:46
    Passos ferz uma política ultraliberal ao ponto de aplicar uma austeridade pura . Contribuiu para rasgar o psd e lavá-lo para o abismo. Uma das consequências disto também foi o Cds cair de forma inimaginável. Marcelo ficou de costas voltadas para o Psd por divergências políticas o que causou ao psd mais quedas até chegar ao ponto em que está. Rangel por mais que faz tudo e mais alguma coisa são oportunismos do momento , pois nunca não é capaz de liderar uma situação confusa e dfícil. Rio já deu provas , aprendeu com esta liderança e como apoio de Malheiro suponho que as coisas vão correr muito mal. Rio tem muitas coisas a seu favor e ganha as lutas em que se mete. Tem estratégia .