Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Quem são os imigrantes que trabalham em Portugal?

​Explicador Renascença

Quem são os imigrantes a trabalhar em Portugal?

03 jun, 2024 • Anabela Góis


Quantos são? Quando ganham? Quais as nacionalidades? Em que região do país estão instalados? Os trabalhadores estrangeiros em Portugal são o tema do Explicador Renascença desta segunda-feira.

No dia em que o Governo anunciou novas regras para a entrada de imigrantes em Portugal, o Explicador Renascença olha para os estrangeiros que trabalham em Portugal. A caracterização é feita pelo Banco de Portugal tendo em conta a base de dados da Segurança Social. Ouça o podcast.

Quantos estrangeiros trabalham em Portugal?

A caracterização feita pelo Banco de Portugal tem em conta apenas a base de dados da Segurança Social. Em 2023 eram cerca de 500 mil, quase nove vezes mais do que em 2014, ano em que havia cerca de 56 mil estrangeiros a trabalhar por conta de outrem.

O número de contratos com estrangeiros tem registado um aumento expressivo ao longo da última década, mas não foi uniforme: em 2018 e 2019 houve um aumento acentuado, entre 38% e 48%. Depois, nos anos da pandemia, o aumento foi mais moderado, mas, nos últimos dois anos, voltou a acentuar-se com taxas de crescimento de 41% em 2022 e 35,5% em 2023.

Os imigrantes já são uma importante força de trabalho?

Sim. Em termos globais, representam 13,4% do número total de trabalhadores. Em 2014, só 7,9% das empresas portuguesas tinham colaboradores com outras nacionalidades. Essa proporção subiu para 22,2% em 2023. E o curioso é que não há diferenças entre pequenas, médias e grandes empresas.

É no setor agrícola e das pescas que os imigrantes têm mais peso: quatro em cada dez trabalhadores são estrangeiros, o dobro do que acontecia em 2019. Seguem-se o alojamento e restauração, atividades administrativas e construção.

E estão espalhados por todo o país?

Estão, mas o seu peso é maior nos concelhos com mais atividade agrícola, sobretudo, no sul do país. Em Odemira, Ferreira do Alentejo, Almeirim, Albufeira, Aljezur, Odivelas, Vila do Bispo, Tavira e Loulé os estrangeiros são mais de um terço dos trabalhadores. Sendo que o grande destaque vai para Odemira, onde o peso da comunidade estrangeira atingiu os 76,1% no ano passado. Em Ferreira do Alentejo, a percentagem é de quase 50%.

Quais são as nacionalidades com maior peso?

Continua a ser a brasileira, que representa quase metade dos estrangeiros a trabalhar em Portugal. Aliás, em 2022 o número de trabalhadores oriundos do Brasil cresceu quase 60%. São mais de 200 mil indivíduos inscritos na Segurança Social.

Depois, surgem os indianos, com cerca de 41 mil pessoas, os nepaleses (a nacionalidade que mais cresceu), cabo-verdianos e bengalis. No seu conjunto, estas quatro nacionalidades representavam 22,1% do total de trabalhadores por conta de outrem com nacionalidade estrangeira em 2023. Quanto aos trabalhadores europeus representam 12,6% dos estrangeiros.

Se olharmos para a sua distribuição pelos vários setores económicos, há prevalência dos trabalhadores brasileiros em todos os setores, exceto na agricultura e pesca. Aqui são sobretudo indianos, nepaleses e bengalis.

Os imigrantes ganham mais ou menos do que os trabalhadores portugueses?

Ganham menos do que os portugueses: em 2023, a mediana das remunerações mensais dos trabalhadores estrangeiros foi muito próxima do salário mínimo nacional (760 euros), situando-se em 769 euros nos trabalhadores jovens e em 781 euros nos trabalhadores com mais de 35 anos.

Para os trabalhadores nacionais, as remunerações medianas foram de 902 e 945 euros, respetivamente.

Sabe fazer transferências bancárias com o SPIN?
Trabalhadores e empresas que testaram semana de quatro dias querem manter o modelo
Afinal o que se passa com o preço dos combustíveis?
Quando é que os pais podem matricular os filhos para o próximo letivo?
​Ensino Superior. Que cursos têm maior e menor taxa de desemprego?
O que sabemos sobre o novo pacote anticorrupção?
Aumentar o preço da água para evitar o desperdício. Vai acontecer?
As pessoas queixam-se cada vez mais dos transportes públicos. Porquê?
Nunca houve tanta gente a viver em Portugal?
Covid-19. Devemos estar preocupados com o aumento de casos este verão?
Audição ao caso das gémeas. O que disse Lacerda Sales?
O que fará António Costa se for nomeado para presidente do Conselho Europeu?
Qual é a melhor forma de ir para o Rock in Rio?
Como é que as palavras da ministra da Saúde levaram à demissão da administração do Hospital de Viseu?
Quais as condições para ter acesso à isenção do IMT e de Imposto de Selo?
Caso Saco Azul. Quais podem ser as consequências para o Benfica?
O que muda com o novo cartão de cidadão?
Posso escolher o local de voto nas eleições europeias?
O que há de novo no caso das gémeas do Hospital Santa Maria?
Quais são as diferenças entre as propostas da AD e do PS de redução do IRS?
Quanto é que Portugal já recebeu  da UE?
Há novidades no acesso às creches privadas. Qual é o impacto na vida das famílias?
Acesso a creches privadas. O que muda?
Governo acaba com manifestação de interesse para imigrantes. O que é?
Foram os privados a elaborar a reforma do Governo para o SNS?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.