Emissão Renascença | Ouvir Online
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
PSD pode continuar a governar mesmo que o Orçamento do Estado seja chumbado?
Ouça o Explicador Renascença

Explicador Renascença

PSD pode continuar a governar mesmo que o Orçamento do Estado seja chumbado?

04 abr, 2024 • Sérgio Costa


Governar em regime de duodécimos implica que o Governo divida por doze a despesa prevista no Orçamento anterior

Ainda agora o Governo iniciou funções, mas já ouvimos que PS e Chega estão a admitir reprovar o Orçamento do Estado (OE) para o próximo ano.

Ainda assim, o PSD admite ser possível continuar a governar e evitar novas eleições Legislativas, tão pouco tempo depois das de 10 de março.

O Explicador Renascença esclarece o que pode acontecer se o OE for chumbado.

É possível governar sem OE aprovado?

É e já ouvimos na Renascença o dirigente do PSD, José Matos Correia, dizer que isso pode mesmo acontecer, ou seja, o Governo continuar em funções mesmo sem orçamento aprovado.

Admite governar em duodécimos.

O que é que isso quer dizer?

Quer dizer que os diferentes Ministérios ficam limitados na sua despesa mensal.

Governar em regime de duodécimos implica que o Governo divida por doze a despesa prevista no Orçamento anterior e não pode gastar mensalmente esse valor dividido por doze meses.

No fundo, é idêntico ao que aconteceu com o subsídio de Natal no tempo da Troika. O valor for dividido por 12 meses, em vez de ser entregue de uma só vez.

É mesmo possível um governo continuar em funções?

Sim, e aí temos que olhar para a Lei de Enquadramento Orçamental. E esta lei diz que em caso de chumbo do Orçamento, o Governo pode apresentar sucessivas propostas ao Parlamento, até que consiga garantir a aprovação.

Outra possibilidade é continuar a negociar na especialidade determinados pontos até se chegar a um acordo como acontece com outras leis.

Então por que é que o Parlamento foi dissolvido em 2021?

Foi o resultado da leitura política do Presidente. Na altura, Marcelo considerou que com a não aprovação do Orçamento não havia condições de estabilidade para o Governo continuar.

Teremos de ver se, depois do verão, e se o OE for “chumbado”, qual será a avaliação do chefe de Estado. Pode, eventualmente, ter uma leitura diferente.

Por que razão não ser aprovado é uma forte possibilidade?

É uma ideia que que resulta das mais recentes declarações dos responsáveis políticos, sobretudo dos partidos da oposição com mais deputados. PS e Chega parecem estar alinhados nesse sentido, no de não aprovar o OE.

A confirmar-se, formar-se-á uma maioria no Parlamento que impedirá o Orçamento de ser aprovado.

Depois do verão, podemos mesmo ter mais uma crise política nas mãos.

O que é que acontece se um clube não cumprir o fair-play financeiro da UEFA?
Afinal, qual é o valor da redução de IRS prevista pelo atual Governo?
Qual o impacto do Programa de Governo na sua carteira?
O novo Governo traz novidades no setor da habitação. O que muda?
Bispos aprovam indemnizações às vítimas de abuso. Mas quando e a quem podem pedir?
Como vai funcionar o suplemento remunerativo solidário, uma das novidades do programa do Governo?
Afinal o que diz o programa do Governo?
ADSE atualizou preços, mas não avisou beneficiários. O que muda?
Hospitais obrigados a permitir acompanhamento de idosos?
As avaliações nas escolas vão ou não ser feitas em modo digital?
Febre do eclipse solar. O que se vai passar na América?
Israel estará prestes a aceitar um cessar-fogo em Gaza. Quais são as condições?
Secretária de Estado recebeu indemnização da CP. O que sabemos?
Livro Verde da Segurança Social propõe fim da reforma aos 57 anos. Que proposta é esta?
Houve ilegalidade no caso das gémeas?
Estamos a consumir mais droga e álcool em Portugal?
Qual foi o desafio de Montenegro aos partidos para combater a corrupção?
Novo Governo toma posse esta terça-feira. E depois?
Reembolsos do IRS podem ser menores este ano?
O que causou os constrangimentos nas urgências de obstetrícia este fim de semana?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • maria
    04 abr, 2024 vila 09:04
    Não acredito que se o orçamento fôr chumbado, o P.R, não dissolva o parlamento e convoque eleições, caso contrário,iriamos assistir a tristes manifestações dentro e fora do parlamento,será que este país está condenado a não se desenvolver?