Tempo
|
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Faltam computadores. As provas vão mesmo ser digitais?

Explicador Renascença

Faltam computadores. As provas vão mesmo ser digitais?

25 mar, 2024 • Fátima Casanova


Governo aprovou em Conselho de Ministros uma autorização de 6,5 milhões de euros em despesa para as escolas adquirirem novos equipamentos, mas professores de informática estão de greve a partir de 8 de abril.

A faltar pouco mais de um mês e meio para começarem as provas digitais, questiona-se a viabilidade de um modelo em escolas com problemas de rede de internet, com computadores avariados ou sem equipamentos ou inexistência de suporte técnico para arranjar o material estragado.

Devido a estes problemas, o Governo aprovou em Conselho de Ministros uma autorização de 6,5 milhões de euros em despesa para as escolas adquirirem novos equipamentos. No entanto, garante a Fenprof à Renascença, tal não irá demover uma greve de professores de informática durante o período de exames.

As provas vão mesmo ser digitais?

Sim, vão ser digitais. Em resposta à Renascença, o Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) afirmou que o Ministério da Educação não deu indicação em sentido contrário.

Neste ano letivo as provas vão ser feitas pelos alunos do 2º, 5º e 8º ano. Para estes alunos são provas de aferição, sem peso na nota final. Já os alunos do 9º ano fazem provas finais de ciclo, que contam para a avaliação.

E há computadores para todos os alunos?

Nesta altura não há. Os diretores escolares já o disseram mais do que uma vez, porque muitos desses computadores estão avariados. A mesma preocupação foi levantada à Renascença pela presidente da Associação de Professores de Informática (ANPRI).

Não há quem possa arranjar esses computadores?

Essa é a grande dor de cabeça para os professores de informática. Muitos diretores procuram ultrapassar os problemas com a ajuda destes professores, mas essa não é a sua função.

Este foi um dos motivos que os levaram a pedir ajuda à FENPROF, que anunciou greve a partir de 8 de abril para que professores de informática não tenham de resolver avarias nem prestar apoio técnico durante as provas.

Por outro lado, o concurso que o Governo lançou no ano passado para recrutar uma empresa de reparação dos computadores, ficou deserto.

E agora qual é a solução?

Num primeiro momento, o Ministério da Educação pediu aos diretores escolares para se coordenarem e emprestarem computadores entre as escolas, algo que não foi bem acolhido.

Em resposta, o Governo autorizou as escolas a gastarem cerca de seis milhões e meio de euros na compra de novos computadores.

As escolas já receberam indicações do que fazer?

Sim, essas indicações foram recebidas ao início da tarde desta segunda-feira. À Renascença, o diretor da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP) aponta que o processo é burocrático e que pode demorar semanas.

Filinto Lima lamenta que o Ministério da Educação esteja a transferir para as escolas aquilo que deveria ter feito nos últimos tempos e admite que esta solução de último recurso não garante que todos os alunos tenham um computador para fazer as provas.

E existem alternativas?

A alternativa é fazer as provas em papel e com caneta, algo que os diretores vão pedir ao novo Governo. A tomada de posse está marcada para 2 de abril e, para esse mesmo dia, os diretores vão pedir uma reunião com carácter de urgência ao novo titular da pasta da Educação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.