Emissão Renascença | Ouvir Online
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Por que é que médicos de urgências deixam de passar atestados a doentes com pulseira verde e azul?
Ouça o Explicador Renascença

Explicador Renascença

Por que é que médicos de urgências deixam de passar atestados a doentes com pulseira verde e azul?

29 fev, 2024 • André Rodrigues


Só os doentes graves é que vão ter direito ao certificado de incapacidade passado pelo médico da urgência.

Os médicos das urgências deixam de poder passar atestados a doentes com pulseira verde e azul.

Uma das novas regras para as baixas médicas entram em vigor já esta sexta-feira.

O Explicador Renascença esclarece porquê e o que é que muda.

Qual é o objetivo?

Dar prioridade às situações mais graves. Neste caso, aos doentes que forem triados com pulseiras vermelha, laranja e amarela.

É o que resulta de uma deliberação da Direção Executiva do SNS. Só os doentes graves é que vão ter direito ao certificado de incapacidade passado pelo médico da urgência.

E aos que têm situações menos graves?

A esses aplica-se a autodeclaração de doença. Ou seja, um doente com pulseira verde e azul pode recorrer à modalidade em que seja ele próprio a requerer uma baixa autodeclarada através do SNS24.

Ou, em alternativa, deslocando-se ao centro de saúde para obter essa mesma baixa junto do médico de família.

E o não atendimento de doentes sem gravidade?

Aí estamos a falar de uma medida que entra em vigor na próxima segunda-feira.

No fundo, é a continuação daquilo que foi testado no Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde. Isto é, doentes não urgentes que, por sua iniciativa, cheguem às urgências de Gaia e da Feira passam a ser encaminhados para uma consulta no centro de saúde nas 24 horas seguintes.

É o projeto “Ligue Antes, Salve Vidas” que a Direção Executiva do SNS quer estender a todo o país.

Já no caso destas novas regras para as baixas, trata-se do alargamento da autodeclaração de doença àquelas situações menos graves, mas que, em muitos casos, acabam por entupir os serviços com situações cujo quadro clínico não justifica uma ida à urgência.

Que outras regras entram em vigor?

Também os médicos do setor privado passam a poder emitir baixas, para efeitos de subsídio de doença. Algo que, neste momento, só os médicos de família do Serviço Nacional de Saúde podem fazer.

Outra mudança, mas essa só a partir de abril, quem tenha uma baixa poderá ser convocado para exames médicos sem horário pré-definido.

O que é que isso significa?

Significa que alguns dos exames para atestar incapacidade passam a poder ser realizados por videochamada, ou na própria casa do utente.

E, ao nível da fiscalização das baixas, o controlo pode ser feito por técnicos da Segurança Social, acompanhados por médicos ou, até mesmo, agentes das autoridades. E pode ser feito a qualquer momento.

Como assim?

De acordo com a lei, a verificação das baixas pode ocorrer "a todo o tempo, nas situações legalmente previstas ou naquelas em que se presuma a não existência ou mesmo a cessação de incapacidade".

Isto abrange as baixas superiores a três dias, ou uma nova auto declaração de baixa, mesmo após uma decisão que considere que não há razões para manter essa situação.

Por que é que o Governo quer reformular o sistema de agendamento de vistos?
Quanto vamos poupar em IRS?
Como é que os bancos cobraram oito milhões de euros indevidos a clientes em 2023?
Fatura da luz pode aumentar. Porquê?
Atenção à fraude nas transferências bancárias. O que está a acontecer?
Relação esvaziou Operação Influencer?
Por que é que a adesão à estabilização de encargos com a compra da casa foi mais baixa que o estimado?
Porque há um valor mínimo para receber reembolso do IRS?
O que é que acontece se um clube não cumprir o fair-play financeiro da UEFA?
Afinal, qual é o valor da redução de IRS prevista pelo atual Governo?
Qual o impacto do Programa de Governo na sua carteira?
O novo Governo traz novidades no setor da habitação. O que muda?
Bispos aprovam indemnizações às vítimas de abuso. Mas quando e a quem podem pedir?
Como vai funcionar o suplemento remunerativo solidário, uma das novidades do programa do Governo?
Afinal o que diz o programa do Governo?
ADSE atualizou preços, mas não avisou beneficiários. O que muda?
Hospitais obrigados a permitir acompanhamento de idosos?
As avaliações nas escolas vão ou não ser feitas em modo digital?
Febre do eclipse solar. O que se vai passar na América?
Israel estará prestes a aceitar um cessar-fogo em Gaza. Quais são as condições?
Secretária de Estado recebeu indemnização da CP. O que sabemos?
Livro Verde da Segurança Social propõe fim da reforma aos 57 anos. Que proposta é esta?
Houve ilegalidade no caso das gémeas?
PSD pode continuar a governar mesmo que o Orçamento do Estado seja chumbado?
Estamos a consumir mais droga e álcool em Portugal?
Qual foi o desafio de Montenegro aos partidos para combater a corrupção?
Novo Governo toma posse esta terça-feira. E depois?
Reembolsos do IRS podem ser menores este ano?
O que causou os constrangimentos nas urgências de obstetrícia este fim de semana?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.