Tempo
|
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Vai ser possível consultar online as declarações de rendimentos e património dos políticos. Que plataforma é esta?

Explicador Renascença

Vai ser possível consultar online as declarações de rendimentos e património dos políticos. Que plataforma é esta?

12 fev, 2024 • Alexandre Abrantes Neves


Está a ser desenvolvida pela Entidade para a Transparência uma nova plataforma online que irá facilitar o escrutínio dos titulares de cargos públicos. Isto pode ser útil agora que estamos a caminho das eleições.

Vamos, por exemplo, poder aceder livremente a informações sobre a vida profissional dos políticos, como os cargos exercidos pelos ministros e deputados, ao longo dos últimos três anos antes de assumirem funções públicas e até três anos depois de deixarem essas funções.

Mas depois também há dados que só são divulgados mediante pedido, nomeadamente tudo o que está relacionado com rendimentos e património.

Portanto, documentos sobre as casas que são propriedade de políticos ou as ações e participações que tenham em empresas.

Mas esses pedidos podem ser feitos por qualquer pessoa?

Sim, mas não é certo que te seja dada autorização. Para isso tem de ser feito um pedido à Entidade para a Transparência.

E quando se submete o requerimento na plataforma, tem de se explicar as razões que levam a querer consultar determinados documentos.

Depois a Entidade para a Transparência tem 25 dias para decidir. E se o pedido for aceite, a pessoa pode consultar os documentos, também online e apenas durante cinco dias.

Normalmente os dados pessoais, como a morada ou número de telemóvel nunca são divulgados. Isso também acontece nesta plataforma?

Sim, esses dados também não são divulgados.

E além das moradas e dos contactos dos representantes de cargos públicos, também não vai ser possível aceder, por exemplo, a atividades profissionais - atuais ou do passado - que estejam sob sigilo.

Quanto é que os políticos ganhavam em certas empresas, as casas que têm e quanto é que custaram... Estes rendimentos não tinham já de ser declarados?

Sim e já se podiam consultar, só que era tudo feito presencialmente, no Tribunal Constitucional.

Com esta nova plataforma, os políticos e titulares de cargos públicos podem passar a entregar online a declaração de registo de interesses, exigida por lei.

Podem submetê-la na plataforma durante os 60 dias seguintes a tomarem posse e as consultas também podem ser feitas online.

E quando é que tudo isto entra em vigor?

A Entidade para a Transparência, que é a responsável, diz estar a fazer todos os esforços para lançar a plataforma ainda antes das eleições legislativas de 10 de março.

Mas a verdade é que a plataforma já vem com um grande atraso.

Isto porque o anúncio inicial já remonta a setembro de 2019, passaram mais de 4 anos.

E além disso, a primeira data para a plataforma entrar em funcionamento era janeiro, mas do ano passado.

Portanto, na melhor das hipóteses começa tudo a funcionar mais de um ano depois do prometido.

Julian Assange vai ser extraditado para os EUA?
Protesto dos polícias no Capitólio foi autorizado?
Missão militar europeia no Mar Vermelho. Quais são os meios e os objetivos?
O que é que fez o endividamento das famílias quadruplicar desde 2015?
Morreu Alexei Navalny. O que se sabe até agora?
Julgamento de suspeito do rapto de Maddie McCann está relacionado com o caso?
Madeira. O que é que vai acontecer agora que os três detidos foram libertados?
Já é possível ter o cartão de cidadão e a carta de condução no telemóvel. Como é que funciona?
A Meta vai limitar o acesso a sugestões de conteúdo político nas redes sociais. O que é que isto significa?
Presencial, correspondência ou antecipado. Como votar nas eleições legislativas?
Por que é que as televisões recusaram debates com Nuno Melo a representar a AD?
Abandono escolar aumenta em Portugal. Porquê?
Por que é que há bancos a bloquear as contas dos clientes?
Baixas médicas e fim de grupo operacional. O que se passa na PSP?
A PSP está a investigar a própria PSP por suspeitas de fraude?
Quem é o pirata português procurado nos EUA?
Existe uma relação contratual entre um estafeta e a Uber Eats?
Dengue deixa Rio de Janeiro em estado de emergência. A culpa é do mosquito?
Os protestos dos polícias podem impedir as eleições legislativas?
O que sabemos da manifestação anti-Islão?
Cessar-fogo à vista. Aproxima-se o fim da guerra entre Israel e Hamas?
Agricultores protestam e cortam estradas em Portugal. Porquê?
Telecomunicações mais caras. Por que é que os preços voltam a aumentar?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.