Tempo
|
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
A PSP está a investigar a própria PSP por suspeitas de fraude?
Ouça o Explicador Renascença

Explicador Renascença

A PSP está a investigar a própria PSP por suspeitas de fraude?

07 fev, 2024 • André Rodrigues


Trata-se de uma investigação interna da PSP, por suspeitas de desvio de verbas do Estado relativas a serviços gratificados nos transportes públicos.

A PSP estará a investigar agentes da PSP por suspeitas de fraude.

No âmbito de dos serviços gratificados nos transportes públicos, foram realizadas várias buscas.

O Explicador Renascença detalha o caso.

O que são serviços gratificados?

É o nome que se dá ao policiamento realizado pelas forças de segurança junto de entidades, sejam elas do setor público ou do setor privado, fora do horário normal de trabalho dos agentes.

Neste caso concreto que está a ser investigado, falamos de agentes da PSP mobilizados fora do seu horário habitual de trabalho para garantir a segurança em estações e, também, nos comboios da CP.

É trabalho em dia de folga?

Sim, trabalho em dias de folga ou de férias e em situações muito excecionais, em que seja necessário um reforço significativo de recursos humanos, quando eles não existem.

Um exemplo: a Jornada Mundial da Juventude, por razões óbvias de segurança, uma vez que a presença do Papa exigiu o cumprimento rigoroso de um protocolo de segurança, em que foi necessário alocar um elevado número de agentes da PSP em Lisboa para garantir a segurança do evento.

Nesse caso, os agentes que foram chamados para trabalhar fora do seu horário de trabalho foram pagos em gratificados.

Quanto ganha um agente por serviços gratificados?

Os serviços gratificados da PSP são contabilizados por períodos de quatro horas.

Por cada um desses períodos, o pagamento mínimo é de 42 euros por agente.

O que está em causa?

Trata-se de uma investigação interna da PSP, por suspeitas de desvio de verbas do Estado relativas a este serviço prestado fora de horas.

As buscas realizadas esta terça-feira tiveram como alvo a Divisão de Segurança a Transportes Públicos, do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa.

Em causa estão suspeitas de falsificação de documentos - relacionadas com a alegada adulteração das horas de serviço realizadas pelos agentes - e, ainda, suspeitas peculato dentro da própria Polícia de Segurança Pública, por alegado desvio de verbas do Estado referentes ao pagamento destes serviços gratificados.

O que é que foi encontrado nas buscas?

Vários documentos, desde logo as escalas dos agentes, porque há suspeitas de viciação dos horários para a prestação de gratificados.

De acordo com o Ministério Público, os agentes estarão a agir de maneira concertada para receberem por serviços gratificados que, na verdade, não realizaram.

E tudo isto, em prejuízo do Estado, enquanto acionista da CP.

A Direção Nacional já reagiu?

Sim, através de uma curta nota. Sem grandes detalhes, a PSP limita-se a confirma que o caso está a ser investigado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, em colaboração com a Divisão de Investigação Criminal da PSP.

O caso encontra-se em segredo de Justiça.

"Autobaixas" estão em alta. Está tudo a ficar doente?
O segundo ciclo deve continuar ou acabar?
A Europa está a preparar-se para entrar em guerra com a Rússia?
Como funciona o voto antecipado?
Como é que devo validar as minhas faturas?
Como evitar burlas no arrendamento de casas?
O que é que causou o incêndio que consumiu prédio em Valência?
Quais são os problemas no atendimento ao cidadão?
Quem vai estar dispensado de preencher o IRS?
Por que é que o sarampo se está a propagar rapidamente?
Julian Assange vai ser extraditado para os EUA?
Protesto dos polícias no Capitólio foi autorizado?
Missão militar europeia no Mar Vermelho. Quais são os meios e os objetivos?
O que é que fez o endividamento das famílias quadruplicar desde 2015?
Morreu Alexei Navalny. O que se sabe até agora?
Julgamento de suspeito do rapto de Maddie McCann está relacionado com o caso?
Madeira. O que é que vai acontecer agora que os três detidos foram libertados?
Já é possível ter o cartão de cidadão e a carta de condução no telemóvel. Como é que funciona?
Vai ser possível consultar online as declarações de rendimentos e património dos políticos. Que plataforma é esta?
A Meta vai limitar o acesso a sugestões de conteúdo político nas redes sociais. O que é que isto significa?
Presencial, correspondência ou antecipado. Como votar nas eleições legislativas?
Por que é que as televisões recusaram debates com Nuno Melo a representar a AD?
Abandono escolar aumenta em Portugal. Porquê?
Por que é que há bancos a bloquear as contas dos clientes?
Baixas médicas e fim de grupo operacional. O que se passa na PSP?
Quem é o pirata português procurado nos EUA?
Existe uma relação contratual entre um estafeta e a Uber Eats?
Dengue deixa Rio de Janeiro em estado de emergência. A culpa é do mosquito?
Os protestos dos polícias podem impedir as eleições legislativas?
O que sabemos da manifestação anti-Islão?
Cessar-fogo à vista. Aproxima-se o fim da guerra entre Israel e Hamas?
Agricultores protestam e cortam estradas em Portugal. Porquê?
Telecomunicações mais caras. Por que é que os preços voltam a aumentar?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Luiz
    08 fev, 2024 SANTO ANTÓNIO DOS CAVALEIROS 10:39
    Fica tudo resolvido com a prata da casa, uma mão lava a outra, as duas lavam a cara!