Emissão Renascença | Ouvir Online
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Cessar-fogo à vista. Aproxima-se o fim da guerra entre Israel e Hamas?
Ouça o Explicador Renascença

Explicador Renascença

Cessar-fogo à vista. Aproxima-se o fim da guerra entre Israel e Hamas?

02 fev, 2024 • André Rodrigues


Fontes próximas dos negociadores, citadas pela imprensa israelita, admitem que as indicações iniciais são positivas, mas não devem ser vistas como definitivas.

Pode estar para breve um acordo entre Israel e o Hamas. Nas últimas horas de quinta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Qatar, que está a mediar as negociações, admite essa possibilidade.

Esta quinta-feira, o Hamas aceitou os traços gerais da proposta de cessar-fogo, abrindo, assim, a hipótese para um entendimento oficial.

O Explicador Renascença dá todos os detalhes mais recentes das negociações do conflito no Médio Oriente.

Podemos estar perto do fim da guerra?

Para já, significa que poderá já existir um entendimento entre Israel e o Hamas para um cessar-fogo. Essa é uma indicação deixada nas últimas horas pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros do Qatar, que tem sido o principal mediador neste conflito iniciado a 7 de outubro.

De acordo com a diplomacia do Qatar, o Hamas terá dado uma aprovação inicial para a libertação de reféns e a interrupção dos combates na Faixa de Gaza.

Como é que Israel interpreta este sinal?

De forma, inicialmente, positiva. Mas o governo de Telavive lembra que esta posição do Hamas não significa necessariamente que haja uma disponibilidade imediata para avançar com a libertação de reféns.

Fontes próximas dos negociadores, citadas pela imprensa israelita, admitem que as indicações iniciais são positivas, mas não devem ser vistas como definitivas, uma vez que o Hamas ainda não apresentou contrapartidas.

Só quando isso acontecer é que Israel decidirá se existe alguma possibilidade de ser alcançado um cessar-fogo mais consistente.

Seja como for, os sinais parecem ser positivos.

No terreno há efeitos desta aproximação?

Do que se sabe nas últimas horas, não há relatos significativos de violência no terreno. O que se sabe, isso sim, é que Israel tenciona prosseguir com a campanha militar na Faixa de Gaza, agora mais concentrada no sul do território, na região de Rafah, junto à fronteira com o Egito.

É uma indicação deixada pelo ministro israelita da Defesa, através de uma publicação na rede social X (antigo Twitter), numa altura em que mais de um milhão de palestinianos se encontram refugiados nessa zona do território, depois da intensa ofensiva israelita no norte de Gaza.

Como é que o mundo reage?

Com naturais cautelas, face ao que tem sido o regresso às hostilidades depois de cada trégua humanitária. O cenário tem sido de constante degradação.

Nas últimas horas, Joe Biden emitiu uma ordem executiva que impõe sanções financeiras e proibição de vistos contra quatro cidadãos israelitas. É a resposta de Washington aos constantes ataques de colonos israelitas contra palestinianos na Cisjordânia, uma rara ação repressiva da administração norte-americana, tendo em conta que, historicamente, os Estados Unidos são o aliado mais próximo de Israel.

Telavive já reagiu a esta decisão, dizendo que a maioria dos colonos da Cisjordânia cumprem a lei e classifica de "drástica" esta decisão do Presidente norte-americano.

O Reino Unido pode dar um contributo importante?

Sim, o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros abre a porta ao reconhecimento oficial de um Estado palestiniano, mas só depois de um cessar-fogo em Gaza.

David Cameron defende que esse reconhecimento não poderá ocorrer enquanto o Hamas permanecer em Gaza.

Mas poderá ser possível, num quadro de negociações e de entendimentos para a paz entre Israel e a Autoridade Palestiniana.

Quanto vamos poupar em IRS?
Como é que os bancos cobraram oito milhões de euros indevidos a clientes em 2023?
Fatura da luz pode aumentar. Porquê?
Atenção à fraude nas transferências bancárias. O que está a acontecer?
Relação esvaziou Operação Influencer?
Por que é que a adesão à estabilização de encargos com a compra da casa foi mais baixa que o estimado?
Porque há um valor mínimo para receber reembolso do IRS?
O que é que acontece se um clube não cumprir o fair-play financeiro da UEFA?
Afinal, qual é o valor da redução de IRS prevista pelo atual Governo?
Qual o impacto do Programa de Governo na sua carteira?
O novo Governo traz novidades no setor da habitação. O que muda?
Bispos aprovam indemnizações às vítimas de abuso. Mas quando e a quem podem pedir?
Como vai funcionar o suplemento remunerativo solidário, uma das novidades do programa do Governo?
Afinal o que diz o programa do Governo?
ADSE atualizou preços, mas não avisou beneficiários. O que muda?
Hospitais obrigados a permitir acompanhamento de idosos?
As avaliações nas escolas vão ou não ser feitas em modo digital?
Febre do eclipse solar. O que se vai passar na América?
Israel estará prestes a aceitar um cessar-fogo em Gaza. Quais são as condições?
Secretária de Estado recebeu indemnização da CP. O que sabemos?
Livro Verde da Segurança Social propõe fim da reforma aos 57 anos. Que proposta é esta?
Houve ilegalidade no caso das gémeas?
PSD pode continuar a governar mesmo que o Orçamento do Estado seja chumbado?
Estamos a consumir mais droga e álcool em Portugal?
Qual foi o desafio de Montenegro aos partidos para combater a corrupção?
Novo Governo toma posse esta terça-feira. E depois?
Reembolsos do IRS podem ser menores este ano?
O que causou os constrangimentos nas urgências de obstetrícia este fim de semana?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.