Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Taxas de juro vão continuar a subir. Porquê?

Explicador Renascença

Taxas de juro vão continuar a subir. Porquê?

28 jun, 2023 • André Rodrigues


Presidente do BCE alerta que a inflação ainda não baixou o suficiente e está a interferir com a economia. Perspetiva mais realista prevê cenário de famílias sob pressão até 2024 com mais subidas das taxas de juro.

A subida das taxas de juro continua imparável. A presidente do Banco Central Europeu confirmou esta terça-feira um novo aumento em julho e com isso a pressão sobre as famílias vai manter-se.

O que justifica mais esta subida?

A inflação está a interferir com a economia e o combate ao problema ainda está longe do fim. É esse o argumento utilizado por Christine Lagarde. No seu discurso no fórum do BCE, em Sintra, Lagarde fala de uma escalada dos preços mais persistente do que o esperado.

Uma vez mais, porquê?

A imagem do chamado 'jogo do empurra' ajuda a entender. Christine Lagarde explicou que esta persistência resulta do facto de a inflação estar a repercutir-se na economia por fases. Se no início, eram as empresas a tentar salvaguardar as suas margens de lucro, agora estamos numa nova fase, relacionada com a adaptação dos salários à escalada dos preços. Consequência? Temos os diferentes agentes económicos a tentar transmitir os custos uns aos outros, o que faz com que este seja um problema ainda sem um fim à vista. Pelo menos no imediato.

Ou seja...

Eventualmente não teremos ainda atingido o pico da subida dos juros. Christine Lagarde lembrou que desde julho do ano passado, o BCE subiu a três taxas de referência em 400 pontos base, mas avisa que o impacto dessa subida ainda não é visível. Por isso, é improvável que, no curto prazo, o Banco Central sinta a confiança suficiente para dar como terminada a batalha contra a inflação.

Quais são as perspetivas?

A perspetiva mais realista aponta para um cenário em que as famílias vão continuar sob pressão até 2024 com mais subidas das taxas de juro. Essa é, de resto, a tendência percecionada pelos mercados

Quando é que esta batalha pode chegar ao fim?

O objetivo é chegar aos 2%, ou seja, a batalha vai terminar quando a inflação na Zona Euro estabilizar nos 2%. De acordo com o Eurostat, a taxa de inflação anual desceu, em maio, para os 6,1%. Daí a afirmação - ou o alerta - da presidente do BCE: "o trabalho ainda não está terminado".

Quais são as novas regras das transferências bancárias?
Visita "Ad Limina": o que é e em que consiste?
Devia Aguiar-Branco ter reprimido Ventura no Parlamento?
Cristo Rei faz 65 anos. O que sabemos sobre este monumento?
O que esperar do acordo para reduzir o valor do IRS?
Afinal, o Papa vai ou não a Niceia?
O que motivou o ataque ao primeiro-ministro da Eslováquia?
Risco de pobreza aumentou em 2023. Quem são as famílias em maior risco?
Aeroporto Luís de Camões. É desta que a obra é feita?
Porque vai a eletricidade ficar mais cara em junho?
Os Super Dragões terão ficado com bilhetes para benefício próprio?
Hospitais com falhas em medicamento usado para tratar cancro. O que está a ser feito?
Como aceder ao complemento solidário para idosos?
Subida de 50 euros no CSI. Quando é que idosos começam a receber os aumentos?
Por que é que estão a aumentar os casos de tosse convulsa?
Jovens com direito à devolução de propinas devem fazer IRS?
Afinal o acordo de rendimentos do anterior Governo é mesmo para cumprir. O que significa?
José Castelo Branco detido pela GNR. O que se sabe até agora?
Afinal, o Sporting tem 20 ou 24 campeonatos?
Quanto recebem os eurodeputados fora do Parlamento Europeu?
O que é o crime de "traição à pátria" de que Marcelo pode ser acusado pelo Chega?
Quem é o jovem português que incentivava e coordenava massacres online?
Fim do pagamento das ex-SCUT vai avançar? Ou Governo avança com lei travão?
Portagens vão ser eliminadas nas ex-Scut?
Excedente em janeiro passou a défice em março. O que aconteceu?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.