Tempo
|
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Por que é que o preço dos alimentos básicos continua a subir?

Por que é que o preço dos alimentos básicos continua a subir?

10 mar, 2023 • André Rodrigues


O preço de quase todos os alimentos básicos continua a subir, apesar do abrandamento da inflação. Se compararmos com os preços de há um ano, o cabaz alimentar básico ronda os 100 euros, um aumento de quase 29%.

Por que é que isto está a acontecer?

É o efeito conjugado dos efeitos da pandemia, da subida da inflação e da guerra na Ucrânia. Na verdade, os preços dos alimentos já estavam a subir em 2021, ainda fruto da crise provocada pela Covid-19, mas é sobretudo a soma da inflação com a guerra na Ucrânia que faz com que este problema persista. E se há casos em que até se entende o aumento dos preços, há outros em que não se compreende muito bem como é que não estabilizaram com a descida da inflação.

Exemplos?

Por exemplo, arroz. Há um ano, um quilo de arroz carolino custava 1 euro e 14 cêntimos. Agora, custa praticamente 2 euros, mais 73%. Outro exemplo: um quilo de pescada custa 10 euros. Há um ano, a mesma pescada custava menos 4 euros. Outro exemplo, ainda: cebola... num ano o preço aumentou 49%. Um quilo de cebolas custa atualmente 1 euro e 56 cêntimos. Finalmente, azeite virgem. Está a custar praticamente 7 euros, há um ano não chegava a cinco euros.

Ou seja, numa conta rápida - conjugando estes exemplos - percebe-se, por exemplo, que a receita de um simples arroz de peixe está quase 60% mais cara do que há um ano.

E quem é que está a ganhar com isso?

É uma pergunta para uma resposta complexa. Vamos a factos: os supermercados têm margens de lucro brutas acima dos 50% em alimentos essenciais.

O inspetor-geral da ASAE fala de "especulação objetiva". Um estudo feito nas três maiores cadeias de distribuição detetou lucros de 52% na cebola, 48% nas laranjas, 45% na cenoura e nas febras de porco, 43% nos ovos... e houve, até, casos em que os preços cobrados em caixa eram 70% superiores aos que estavam marcados nas prateleiras.

Essa é a perceção dos consumidores, a de que os supermercados são os que mais têm ganhado com a subida constante dos preços da comida.

E que medidas vão ser tomadas para contrariar essa situação?

Desde logo, mais ações de fiscalização da ASAE. Ontem mesmo, o Governo prometeu ser inflexível com as práticas abusivas em matéria de preços dos bens alimentares.

O ministro da Economia anunciou um reforço das ações por parte da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica para inspecionar a fixação de preços nas prateleiras dos supermercados.

No entanto, António Costa Silva diz que também é importante compreender a estrutura de preços do setor, desde a produção à comercialização, passando pela distribuição. Ou seja, mais transparência em todo este processo.

E como reagem as cadeias de distribuição?

"A culpa não é nossa". A associação que representa os supermercados rejeita responsabilidades no aumento dos preços da alimentação e garante que não houve qualquer aumento das margens de lucro.

A APED diz que “a margem média do setor do retalho alimentar” ronda os 2% a 3%, ao passo que as margens da indústria são de "15% a 20%".

O que é que a associação dos distribuidores quer dizer com isto? Quer dizer que os supermercados estão a comprar os produtos cada vez mais caros aos fornecedores.

Logo, os "aumentos no início da cadeia refletem a subida dos custos dos fatores de produção decorrentes dos aumentos dos preços dos fertilizantes, das rações e de outros custos relevantes" para a produção. Ou seja, segundo a APED, não se trata de lucro para os supermercados. O problema está no preço dos produtos no início da cadeia.

Como é que devo validar as minhas faturas?
Como evitar burlas no arrendamento de casas?
O que é que causou o incêndio que consumiu prédio em Valência?
Quais são os problemas no atendimento ao cidadão?
Quem vai estar dispensado de preencher o IRS?
Por que é que o sarampo se está a propagar rapidamente?
Julian Assange vai ser extraditado para os EUA?
Protesto dos polícias no Capitólio foi autorizado?
Missão militar europeia no Mar Vermelho. Quais são os meios e os objetivos?
O que é que fez o endividamento das famílias quadruplicar desde 2015?
Morreu Alexei Navalny. O que se sabe até agora?
Julgamento de suspeito do rapto de Maddie McCann está relacionado com o caso?
Madeira. O que é que vai acontecer agora que os três detidos foram libertados?
Já é possível ter o cartão de cidadão e a carta de condução no telemóvel. Como é que funciona?
Vai ser possível consultar online as declarações de rendimentos e património dos políticos. Que plataforma é esta?
A Meta vai limitar o acesso a sugestões de conteúdo político nas redes sociais. O que é que isto significa?
Presencial, correspondência ou antecipado. Como votar nas eleições legislativas?
Por que é que as televisões recusaram debates com Nuno Melo a representar a AD?
Abandono escolar aumenta em Portugal. Porquê?
Por que é que há bancos a bloquear as contas dos clientes?
Baixas médicas e fim de grupo operacional. O que se passa na PSP?
A PSP está a investigar a própria PSP por suspeitas de fraude?
Quem é o pirata português procurado nos EUA?
Existe uma relação contratual entre um estafeta e a Uber Eats?
Dengue deixa Rio de Janeiro em estado de emergência. A culpa é do mosquito?
Os protestos dos polícias podem impedir as eleições legislativas?
O que sabemos da manifestação anti-Islão?
Cessar-fogo à vista. Aproxima-se o fim da guerra entre Israel e Hamas?
Agricultores protestam e cortam estradas em Portugal. Porquê?
Telecomunicações mais caras. Por que é que os preços voltam a aumentar?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Vieira
    18 out, 2023 Aveiro 16:11
    O que APED diz é uma mentira pegada. Se a própria ASAE detectou margens de comercialização.não restam dúvidas. O resto é conversa. Quem está a ganhar muito dinheiro actualmente é a grande distribuição pois os supermercados multiplicam-se como cogumelos em todas as localidades e de várias nacionalidades. Portugal é uma mina de ouro para as cadeias de supermercados.Pergunto eu: quantos produtos é que os supermercados vendem com a margem de 2 e 3%? Certamente nenhum!