Tempo
|
Euranet
Euranet
“Compromisso Verde” é um podcast quinzenal sobre crescimento sustentável e transição energética. Da pandemia dos plásticos aos pecados da chamada moda rápida, cada episódio um tema. Uma nova edição disponível às quartas-feiras às 18h00. Esta é uma parceria Renascença Euranet Plus.
A+ / A-
Arquivo

UE liberaliza comércio com a Ucrânia

30 mai, 2022 • Vasco Gandra, correspondente em Bruxelas


A medida aplica-se designadamente aos produtos industriais, às frutas e produtos hortícolas e aos produtos agrícolas.

Durante um ano, todas as exportações ucranianas para a União Europeia (UE) estarão isentas de direitos de importação.

O Conselho da UE adotou, recentemente, um regulamento que autoriza a liberalização temporária do comércio e outras concessões comerciais no que diz respeito a determinados produtos ucranianos.

A medida aplica-se designadamente aos produtos industriais sujeitos à eliminação progressiva de direitos até ao final de 2022, às frutas e produtos hortícolas sujeitos ao regime de preços de entrada, e aos produtos agrícolas e produtos agrícolas transformados sujeitos a contingentes pautais.

Com esta medida, a UE tem mais um gesto de solidariedade para com a Ucrânia. A invasão russa do país tem um efeito dramático na capacidade de produção e nas infraestruturas de transporte da Ucrânia e no acesso do país ao mar Negro, com consequências para a segurança alimentar global.

Calcula-se que haja cerca de 20 milhões de toneladas de cereais retidos nos portos ucranianos. Em tempos normais, 75% da produção de cereais da Ucrânia é exportada, Antes da guerra, 90% das exportações de cereais e oleaginosas transitavam pelos portos ucranianos do mar Negro, agora ameaçados.

A Comissão Europeia apresentou uma proposta para criar "corredores solidários" que permitam à Ucrânia exportar os seus cereais mas também importar mercadorias, através de diferentes rotas terrestres da UE.

Na cimeira de Bruxelas esta semana, os líderes europeus deverão de novo apelar para que sejam encontradas soluções para o bloqueio dos portos ucranianos, sobretudo o de Odesa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Digo eu
    30 mai, 2022 Mundo 16:18
    A solução para o bloqueio é simples: peguem nas Marinhas de Guerra que todos ou quase todos têm e estabeleçam esses tais canais de escoamento do produtos, quebrando o bloqueio Russo pela Força, se necessário. E enquanto houver operações navais naquela zona, impor uma zona de exclusão aérea, vigiada por esquadrilhas de caças, com ordem de intersectar qualquer aéreo russo que se aproxime e se necessário, abatê-lo. Não se pode admitir que a Rússia marque a agenda mundial e chantageie o Mundo.