Tempo
|
Euranet
Euranet
“Compromisso Verde” é um podcast quinzenal sobre crescimento sustentável e transição energética. Da pandemia dos plásticos aos pecados da chamada moda rápida, cada episódio um tema. Uma nova edição disponível às quartas-feiras às 18h00. Esta é uma parceria Renascença Euranet Plus.
A+ / A-
Arquivo

Euranet

ONGs apelam à UE para reforçar a justiça internacional

23 mai, 2022 • Vasco Gandra, correspondente em Bruxelas


O apelo foi publicado por oito organizações de direitos humanos, entre as quais a Amnistia Internacional e Human Rights Watch, no Dia da UE contra a Impunidade, assinalado a 23 de maio.

Várias organizações não-governamentais (ONG) de direitos humanos apelaram hoje à UE e aos 27 para fortalecerem o sistema de justiça internacional, incluindo a investigação e o julgamento de crimes de guerra.

O apelo foi publicado por oito organizações de direitos humanos, entre as quais a Amnistia Internacional e Human Rights Watch, no Dia da UE contra a Impunidade, assinalado a 23 de maio.

As ONGs consideram que a UE pode fazer mais nos processos de investigação e de julgamento de atrocidades cometidas na Ucrânia mas também noutros conflitos onde civis são vítimas de abusos.

No contexto da invasão russa da Ucrânia, as ONGs reconhecem que a UE, os Estados-membros e outros governos estão a trabalhar juntos para garantir o julgamento de crimes cometidos no país. Defendem por isso que os 27 devem aproveitar esse apoio sem precedentes e o momento para fortalecer a causa da justiça em todo o mundo.

As organizações consideram que a UE e os Estados-membros devem tomar medidas concretas para fortalecer o sistema de justiça internacional.

Os 27 devem expandir o alcance da justiça adotando as leis necessárias, criar ou reforçar as unidades especializadas na investigação e julgamento de crimes de guerra, reforçar a cooperação entre autoridades nacionais e fornecer maior apoio financeiro e político ao Tribunal Penal Internacional e a outros mecanismos para que possam cumprir o seu trabalho.

As organizações defensoras dos direitos humanos pedem igualmente que o bloco comunitário convença outros países a trabalhar e a reconhecer o Tribunal Penal Internacional.

Com a investigação aberta pelo TPI na Ucrânia, o número de situações abertas em diversos países sob investigação do tribunal subiu para 16. E há ainda investigações em curso relativas a graves crimes internacionais noutros países, dizem as ONGs.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.