Euranet
Euranet
Os assuntos da atualidade nacional e europeia numa parceria Renascença Euranet Plus.
A+ / A-
Arquivo
Decidir Europa - João Albuquerque - A economia pós-Covid

Decidir Europa

João Albuquerque e a economia pós-covid

02 jul, 2021 • José Bastos


Vice-presidente da CIP reflete sobre a recuperação económica no pós-covid num contexto mais sustentável e digital.

Veja também:


“Agora já posso ir ao banco?”. O tom distendido e humorado da pergunta de António Costa à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ficou na memória coletiva na apresentação do plano de recuperação e resiliência de Portugal o PRR – o primeiro a ter luz verde de Bruxelas e com o qual o Governo promete transformar o país no pós-Covid 19.

Todos se lembram do “agora já posso ir ao banco?”, do primeiro-ministro português, mas menos se recordam da frase anterior da Dra. von der Leyen o “there’s a lot of work ahead of you”. No conjunto das opiniões que foram sendo ventiladas há dois pontos que prevalecem no seio dos agentes empresariais e em alguns dos agentes políticos.

Um dos pontos é o de que o eixo da Resiliência do PRR é dos três o que reserva as menores quotas para projetos a gerir pela iniciativa privada. No outro ponto defende-se que os montantes elevadíssimos que irão ser alocados no âmbito dos outros dois eixos – o da Transição Digital e o das Alterações Climáticas – não têm qualquer garantia de que possam vir a alavancar a economia nacional, não só no seu todo mas sobretudo no setor chave – o das exportações, o setor dos bens transacionáveis.

Esta é uma proposta de análise inicial para o convidado desta semana João Cardoso de Albuquerque, vice presidente do Conselho Geral da CIP– Confederação Empresarial de Portugal que acaba de apresentar um plano para o pós Covid - e presidente da ACIB, a associação comercial e industrial de Barcelos – um dos concelhos do ponto de vista industrial e económico mais vibrante do país e dos concelhos campeões de exportações no país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.