Euranet
Compromisso Verde
“Compromisso Verde” é um podcast quinzenal, da autoria de Cristina Nascimento, sobre crescimento sustentável e transição energética. Da pandemia dos plásticos aos pecados da chamada moda rápida, cada episódio um tema. Uma nova edição disponível às quartas-feiras às 18h00. Esta é uma uma parceria Renascença/Euranet Plus.
A+ / A-
Arquivo
Coliving e habitação colaborativa. “Há falta de crédito” para financiar projetos

Compromisso Verde

Coliving e habitação colaborativa. "Há falta de crédito" para financiar projetos

31 mai, 2023 • Cristina Nascimento , João Campelo (sonorização)


Investigadora portuguesa está a mapear iniciativas de coliving na Europa. Em Portugal está a crescer este tipo de habitação, sobretudo num modelo renovado de cooperativas.

Ainda há falta de crédito para projetos de coliving. É o que diz Sara Brysch, arquiteta portuguesa que está na Faculdade de arquitetura da Universidade Tecnológica de Delft, nos Países Baixos, a fazer uma investigação sobre o assunto.

Este tipo de habitação passa, por exemplo, por casas de áreas reduzidas e espaços comuns partilhados bem equipados ou por cooperativas em que os regimes de propriedade implicam uma gestão partilhada. Ora, a investigadora portuguesa diz que este tipo de iniciativas ainda assustam o setor bancário.

“Ainda há um pouco por toda a Europa, uma falta de crédito, literalmente. Ou seja, há um descrédito por parte dos bancos relativamente a estes grupos, porque é algo com um risco, à partida, maior, ou seja, é fora do convencional e tudo que é fora do convencional assusta um pouco", explica esta especialista.

Sara Brysch adianta que, ainda assim, já existe "alguma banca ética, por exemplo, em Espanha, que tem financiado grande parte dos projetos" e também os "bancos verdes, na Alemanha, que incentivam e até dão prioridade ao financiamento de projetos em que a questão da construção sustentável, ecológica e a vida comunitária são os valores principais“.

A habitação colaborativa engloba conceitos como o coliving e o cohousing. Em Portugal, por exemplo, diz Sara Brysch, têm ressurgido o conceito de cooperativas, embora em moldes diferentes das cooperativas habitacionais que nasceram no século XX.

O movimento tem crescido também dirigido a estudantes e jovens em início de carreira. Ricardo Kendall, investidor imobiliário, foi um dos percusores desta modalidade, através da empresa Smart Studios.

Os empreendimentos têm alojamentos de pequenas dimensões, até 18/20 metros quadrados e rendas a partir de 500 euros que incluiam despesas básicas (luz, água internet), bem como o usufruto dos espaços comuns.

Neste episódio do podcast "Compromisso Verde", Ricardo Kendall explica que o processo de licenciamento deste tipo de empreendimentos continua a ser o mais difícil podendo levar entre quatro a seis anos.

O "Compromisso Verde" é uma parceria Renascença/Euranet Plus.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.