A+ / A-

TAEG – O que é e para que serve?


O Banco Explica por que é importante conhecê-la para poder comparar várias propostas de crédito.

TAEG – O que é? Para que serve?

O que é a TAEG?

A TAEG (Taxa Anual de Encargos Efetiva Global) é uma percentagem que expressa o valor total dos encargos que o cliente tem quando pede um empréstimo.

Para além dos juros, o cliente tem de pagar outros custos relacionados com o processo de crédito (comissões, seguros, custos associados à manutenção de conta à ordem, impostos…)

Por exemplo, se pedir um empréstimo de 20.000€ e o banco lhe apresentar uma TAEG de 11% significa que, para além de reembolsar o montante do empréstimo, tem de pagar anualmente estes custos associados ao crédito (que neste caso equivale a 11% do montante emprestado)

Se, antes de fazer o empréstimo, pedir a três bancos uma proposta de crédito com o mesmo montante, prazo e modalidade de reembolso, proposta que tiver a TAEG mais baixa é, naturalmente, a mais económica para si.

Qual a diferença entre TAEG e MTIC?

O MTIC e a TAEG são dois valores que mostram o real custo do crédito.

O MTIC é o valor global que o cliente paga pelo empréstimo que pede (montante do empréstimo pedido + total dos custos).

A TAEG é a taxa que mede todos os custos financeiros associados ao empréstimo (juros, comissões, despesas, etc.).

Se o spread for reduzido, a TAEG também diminui?

Se o cliente contratar outros produtos ou serviços do banco que permitam a redução do spread, o banco deve expressamente apresentar ao cliente uma TAEG que reflita essa redução.

Onde é que pode consultar este valor?

Na FINE – ficha de informação normalizada - que é dada ao cliente com todas as caraterísticas do crédito antes de aceitar a proposta de financiamento apresentada pelo banco.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.