Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

O futebol, finalmente, a vedeta

28 jan, 2019 • Opinião de Ribeiro Cristovão


O favorito ficou-se nas covas, enquanto o seu parceiro foi capaz de subir ao plano mais destacado.

Já não era sem tempo. Talvez por isso, nesta final da Taça da Liga, os jogadores de Sporting e do Porto decidiram dedicar-se exclusivamente à suas tarefas tudo fazendo para proporcionarem um bom espectáculo de futebol. E, sejamos francos, conseguiram amplamente atingir esse objectivo.

Daí ter beneficiado toda a comunidade, que seguiu o frenético embate até ao derradeiro segundo, ou seja quando os dragões falharam a sua derradeira grande penalidade.

Foi uma final digna desse nome, conseguindo até transmitir ao torneio uma face mais lavada, longe daqueles tempos em que pouco mais se ouvia falar do que da taça da carica.

Vindos de dois jogos algo tumultuosos nas meias-finais, que pouco ou nada tinham contribuído para o prestígio, já tão abalado entre nós, da modalidade, os dois finalistas sabiam que sobre o jogo estavam criadas as mais diversas expectativas. Ou seja, os nortenhos subiam ao palco como favoritos, um rótulo justificado pelos seus comportamentos recentes.

Só que o futebol prega muitas vezes partidas chocantes aos seus mais fiéis seguidores.

E isso voltou a acontecer agora na Pedreira: o favorito ficou-se nas covas, enquanto o seu parceiro foi capaz de subir ao plano mais destacado.

A história do jogo é conhecida: os leões entraram de rompante e conseguiram mesmo estar em plano superior no primeiro tempo, ou invés do que aconteceu a seguir, quando os dragões tomaram conta das operações sem que, contudo, lhes tenha sido permitido o arrojo de chegar à baliza de Renan, mais uma vez o homem do jogo e, segundo as contas finais, o melhor jogador desta "final four".

Na sempre rocambolesca epopeia dos penaltis, o Sporting voltou a ser mais competente.

Sim, porque é de competência que se trata e não de lotaria como muitos insistem em transmitir. Treinar muito esses lances e ter treinador de guarda-redes com nível ajuda muito a construir o sucesso.

Quando pouco se esperava, o Sporting Clube de Portugal ganhou a Taça da Liga pela segunda vez consecutiva e sagrou-se campeão de inverno, título de fachada e pouco mais do que isso.

Mas que pode ter dado aos leões aquele impulso de que tanto precisa para voltar a colocar-se no pequeno pelotão dos que ambicionam chegar a Maio e aí erguer o troféu mais cobiçado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.