A+ / A-

Segunda-feira, 22 de abril de 2019

Teresa C.


Boa Noite - 22/04/2019
Boa Noite - 22/04/2019


Como deve ter sido luminosa a manhã da Tua Ressurreição.
Depois da escuridão da morte, depois do silêncio do sepulcro,
a vida deve ter explodido em Graça.
Quase consigo ouvir os pássaros, sentir a brisa fresca da manhã,
ver as flores abertas, plenas de cor.

Sei que voltaste à Vida, falaste com os teus amigos e abriste, para sempre,
as portas da eternidade a toda a humanidade.
Sei que apesar de tantas perseguições e sofrimentos,
de tantos pecadores e tantas faltas, a Igreja continua presente em todo o mundo,
numa entrega permanente e sempre renovada de homens e mulheres,
marcados no mais intimo das suas vidas pela Tua Ressurreição.

Nesta noite, só peço um pouco de tempo, de paz e de silêncio, para poder meditar de novo,
em tudo o que aconteceu naquelas ruas de Jerusalém;
consigo ver José de Arimateia a tratar do Teu Corpo, consigo ouvir o silêncio que se fez no horto.
Nesta noite, consigo pressentir como terá sido a alegria da Tua Ressurreição.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.