|
48k
Rubrica sobre tecnologia, para ouvir segunda às 17h30.
A+ / A-
Arquivo
48k - Alugar roupa - 04/12/2019
48k - Alugar roupa - 04/12/2019

48k

Ter roupas novas todos os meses e o armário mais vazio. Gosta da proposta?

04 dez, 2019 • Cristina Nascimento


Em defesa do ambiente, há quem considere que é mais sustentável partilhar bens do que possui-los. A ideia também pode ser aplicada à roupa.

Um armário cheio de roupa, mas não usa metade; roupas caras que usa duas ou três vezes; aquela sensação que precisa de renovar o guarda-roupa mas não tem ou não quer gastar esse dinheiro… Identifica-se com algumas destas situações?

Há sites e aplicações que propõe receber em casa algumas peças de roupa que, depois de usar alguns dias, devolve.

Muitos deles passam por uma subscrição de um plano mensal. Pesquisa as peças de roupa disponíveis e aluga algumas. Recebe-as em casa, usa-as e depois devolve-as. Há sites onde o tempo de utilização é limitado – alguns dias; outros em que pode trocar várias vezes de roupas durante um mês.

Os preços variam e tanto pode pagar 45 euros por mês, como 145 euros, variando a quantidade de peças de roupa que pode alugar ou se as roupas são daquelas marcas caras.

Dentro do mesmo espírito, há uma outra versão de partilha de roupa. Lembra-se quando era mais nova que gostava de pedir roupa emprestada aquela amiga que vestia o mesmo tamanho? O principio é o mesmo, mas feito através de uma aplicação.

Regista-se, inscreve as suas roupas que quer pôr à disposição para serem emprestadas e pesquisa, perto de sua casa, quem tem roupas que lhe agrade para poder emprestar. Para alguns até pode funcionar como um rendimento extra – alugar aquele vestido que tem lá em casa e que só usou duas vezes.

Estas soluções inovadoras e amigas do ambiente para estes cenários estão mais desenvolvidas nos Estados Unidos e ainda não há nada semelhante em Portugal. Talvez alguém agarre a ideia.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.