|
Conversas Cruzadas
Programa sobre a atualidade que passa ao domingo, às 12h00, com reposição à segunda às 00h00.
A+ / A-
Arquivo
Conversas Cruzadas - Luanda Leaks, o dano reputacional - 26/01/2020
Conversas Cruzadas - Luanda Leaks, o dano reputacional - 26/01/2020

Conversas Cruzadas

Luanda Leaks, o dano reputacional

26 jan, 2020 • José Bastos


Carvalho da Silva, Nuno Botelho e Rosário Gamboa analisam a atualidade no programa “Conversas Cruzadas” da Renascença.

A exposição de documentos do Luanda Leaks desferiu um forte golpe na imagem de Isabel dos Santos, a empresária que construiu um império financeiro, aparentemente, à boleia da condição de filha do presidente de Angola (1979 a 2017).

Escritórios de advogados, bancos internacionais, consultoras que lucraram milhões com os negócios de Isabel dos Santos distanciaram-se na última semana da filha de José Eduardo dos Santos alheios também à existência de dezenas de milionários na elite politica e empresarial angolana ainda por escrutinar.

O caso das revelações de documentos resulta de uma fuga de informação a um consórcio de jornalistas de investigação e tem vários impactos em Portugal. Desde logo, porque Isabel dos Santos é acionista de referência em relevantes empresas nacionais, mas também porque são nacionais as sociedades de advogados ou bancos com quem a empresária negociou.

Que danos potenciais o país enfrenta no médio, longo prazo com este caso? De que forma a justiça deve tratar quem na advocacia ou consultadoria poderá ter colaborado no eventual desvio de dinheiros públicos ou branqueamento de capitais? Que lições para as entidades de regulação ou supervisão ou do setor de “compliance” do banco envolvido apesar da alegação de que todos os formalismos e procedimentos legais foram cumpridos?

Estas são algumas das perguntas para Rosário Gamboa, professora universitária, Nuno Botelho, empresário, e Manuel Carvalho da Silva, sociólogo neste "Conversas Cruzadas" que olha ainda para Davos 2020 a quem o Papa Francisco recordou a “responsabilidade moral de cuidar da casa comum”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.