Tempo
|
Conversas Cruzadas
Programa sobre a atualidade que passa ao domingo, às 12h00.
A+ / A-
Arquivo
Finlândia e Suécia na NATO
Finlândia e Suécia na NATO

Conversas Cruzadas

Finlândia e Suécia na NATO

15 mai, 2022 • José Bastos


José Alberto Lemos, Álvaro Beleza e Nuno Botelho na análise dos novos membros da NATO.

A Finlândia, a democracia militarmente mais forte do mar Báltico vai unir-se à NATO e vai fazê-lo a uma velocidade vertiginosa. Este domingo será formalizada a decisão oficial no parlamento de Helsínquia e a cimeira de Madrid em finais de Junho, dias 29 e 30, deverá marcar a adesão finlandesa e, eventualmente, também a sueca.

A sociedade finlandesa mantinha em aberto desde o final dos anos 80 o debate público sobre a sua segurança. Só um quarto da população defendia a adesão à NATO antes da agressão russa à Ucrânia.

Os finlandeses acreditavam ter encontrado o equilíbrio perfeito para maximizar a sua defesa: um exército potente e moderno, excelentes relações com a vizinha Suécia e com os Estados Unidos e um acordo comercial amistoso com a Rússia.

Mas Putin desfez esta harmonia em menos de três meses e contribuiu para a chegada à NATO de um país pequeno, mas que partilha uma enorme fronteira com a Rússia. A Finlândia não acrescenta à NATO uma força militar qualquer: é o segundo país europeu com mais F35, tem uma marinha moderna com dezenas de corvetas no Báltico e o maior número de soldados na região, 300 mil homens e 900 mil reservistas.

Já esta semana a Suécia vai fazer um anúncio semelhante ao da Finlândia. Esta segunda-feira haverá debate no parlamento de Estocolmo, com o governo de centro-direita a garantir mais de 50% dos votos favoráveis à adesão a contar também com o apoio dos nomes mais proeminentes da bancada da oposição social-democrata.

Quer no caso da Finlândia quer no da Suécia o processo de adesão será ‘fluído e rápido’ nos adjetivos de Jens Stoltenberg – o processo de adesão é essencialmente declarativo sempre que não haja objeções, faltando perceber até onde poderá ir a resistência da Turquia e Hungria.

A análise da guerra na Ucrânia, Finlândia e Suécia na NATO, as tentativas para a paz, preocupações do PR e Covid19 é de Álvaro Beleza, Nuno Botelho e José Alberto Lemos.

9 de maio
08 mai, 2022

9 de maio

O papel da ONU
01 mai, 2022

O papel da ONU

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.